Cuidados com bebês e crianças ao sair na pandemia

Os menores de dois anos não podem utilizar a máscara, mas especialistas sugeriram alternativas para proteger os pequenos

Por Letícia Moura*

MASCARA CRIANÇAA
MASCARA CRIANÇAA -
Retomar as atividades durante a pandemia requer bom senso e cuidados reforçados com a higiene, além do distanciamento social. No caso das crianças, apenas as maiores de dois anos podem usar máscara por conta do risco de sufocamento. Entre os dois e cinco anos, existe necessidade de supervisão constante, conforme recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Mas então, como protegê-los da covid-19 ao sair de casa?

A pesquisadora em Saúde do CESS/UFRJ, Chrystina Barros, e o biomédico virologista do IBMR, Raphael Rangel, esclarecem que, mesmo com a flexibilização da quarentena, os passeios com os pequenos ainda não são indicados. Mas, caso os responsáveis considerem a saída essencial, O DIA separou sugestões de especialistas para manter o seu filho protegido.

Como alternativa para os menores de dois anos, que não podem usar a máscara, o biomédico Raphael Rangel orienta a utilização do protetor facial - face shield em inglês.

Já médica pediatra Daniela Piotto sugere que os pais coloquem uma toalhinha ou capa de chuva específica em cima do carrinho. E também ensina outro cuidado: "Ao entrarem no elevador ou em locais fechados, os responsáveis podem colocar uma toalha fralda sob a cabeça do neném quando estiver no colo. Ela funciona como uma barreira física e com isso, as gotículas não chegam diretamente na cabeça dos bebês", explica.

Jogos para o distanciamento social

Para seguir à risca o afastamento social e evitar que os pequenos toquem em objetos fora de casa, a pediatra Daniela Piotto explica que os pais podem fazer jogos. "Por exemplo, a criança sai de casa com 10 pontos, se chegar muito perto de uma pessoa, perde um ponto. Eles gostam de explorar o mundo, então ao tocar em algum objeto no supermercado, perde outro ponto. E quando voltar pra casa, dá um presentinho, pode fazer um bolo de chocolate junto com a criança ou ela escolhe a brincadeira. Assim, ela vai se sentir importante e vai saber da importância do distanciamento".

Bem como os adultos, as crianças também precisam estar cientes da importância da máscara como uma barreira contra o vírus. A pediatra Piotto recomenda que os pais ensinem para os filhos, ainda em casa, como usar o utensílio corretamente. Ela ainda aconselha que o item seja colocado nas bonecas, para que a aprendizagem seja de forma lúdica.

"É importante colocar a máscara dentro de casa algumas vezes, tanto os pais, como as crianças, para que elas observem como o adulto faz. Ensine que não pode colocar a mão no centro da máscara", destaca. 

Pais precisam supervisionar o uso do álcool em gel

A pesquisadora Chrystina Barros explica que não existe restrição de idade para o uso do álcool em gel, mas os pais devem supervisionar. Ela ainda reforça que a preferência deve ser pela lavagem das mãos com água e sabão.

"É claro que o álcool não deve ficar disponível para a criança. Ela não sabe manipular nem dosar a quantidade. Para uma criança a partir de dois anos, se não for possível lavar a mão, os pais podem colocar um pouco de álcool em gel e esfregarem as mãos dos filhos, para fazer a limpeza em uma situação de emergência", esclarece Barros.

O biomédico Raphael Rangel ensina uma forma divertida para a higienização das mãos. "As crianças gostam muito de cantar parabéns. E nós temos que lavar as mãos com água e sabão por 20 segundos. Então, podemos falar para elas cantarem o parabéns por duas vezes. Assim, dá o tempo necessário para higienizar corretamente e eliminar o vírus".
*Estagiária sob supervisão de Bete Nogueira

Comentários