Morte por intervenção de agente do Estado caiu 74%
 - Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Morte por intervenção de agente do Estado caiu 74% Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Por O Dia
Rio - Dados de julho do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram que os casos de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) no estado caíram consideravelmente em comparação com o mesmo período do ano passado. O mesmo aconteceu com os indicadores de roubos. Já o número de estelionatos foi lá nas alturas.
O levantamento aponta 313 assassinatos em julho de 2019 e 255 em julho deste ano, uma diminuição de 19%. Já os casos de estelionatos chegaram a 6.058 no período, um aumento de 67%. O número de estelionatos em ambiente virtual passou de 339 para 1.616, quase cinco vezes mais.
Publicidade
Veja alguns números da segurança pública no período:
. Homicídio doloso: - 19%
Publicidade
. Crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte): - 20%
. Morte por intervenção de agente do Estado: - 74%
Publicidade
. Roubo de carga: - 21%
. Roubo de veículo: - 43%
Publicidade
. Roubo de rua (a transeunte, de aparelho celular e em coletivo): - 40%
. Estelionatos: + 67%
Publicidade
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
Apesar da queda em vários indicadores, o número dos dados de violência contra a mulher são desanimadores. O ISP revela que desde que a quarentena da pandemia foi adotada, no dia 13 de março, até o dia 31 de julho houve um aumento na proporção de crimes mais graves dentro de casa; tais como:
Publicidade
. Violência física: de 60,1% em 2019 para 66,4% em 2020
. Violência sexual: de 57,7% para 66,6%
Publicidade
Na análise mensal, foram registrados três casos de feminicídio a mais em julho de 2020 em relação ao mesmo mês do ano passado: oito casos neste ano contra cinco em 2019.
O total de crimes com vítimas mulheres que foram registrados sob a Lei Maria da Penha teve uma diminuição de 10% (5.007 em 2020 e 5.592 em 2019), porém, ao comparar com junho de 2020, houve um aumento de 19%.
Publicidade
Os estupros com vítimas mulheres ficaram estáveis. Foram 330 vítimas em julho deste ano, seis a menos do que no mesmo mês do ano passado.