Coronavírus 
 - Reprodução/ Internet
Coronavírus Reprodução/ Internet
Por O Dia
Rio - Foi aprovado na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), nesta quarta-feira, o projeto de lei que garante a testagem da covid-19 em pessoas em privação de liberdade ou presas em flagrante. A ideia é promover o contingenciamento da pandemia do coronavírus em agentes e presos na Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).
O projeto de autoria das deputadas  Renata Souza, Dani Monteiro e Mônica Francisco, todas do PSOL, segue para o veto ou sanção do governador Wilson Witzel. 

“Esse projeto é muito importante diante da situação de calamidade e crise sanitária que temos em nossa sociedade. O sistema prisional sofre ainda mais, diante da possibilidade da proliferação veloz do coronavírus dentro espaços superlotados e insalubres. São cerca de 55 mil pessoas no sistema penitenciário do Rio”, alerta a deputada Renata Souza, presidenta da comissão de direitos humanos da Alerj.

A testagem é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como medida fundamental para definição das medidas de prevenção da covid-19. No Brasil, os especialistas alertam que a quantidade de testes realizados está muito longe do ideal, o que gera uma subnotificação.
Publicidade
De acordo com dados do Mecanismo de Combate e Prevenção à Tortura, em média 70 pessoas ingressam no sistema prisional do Estado diariamente.
De acordo com a Seap, 1.920 servidores foram verificados por testes rápidos. Desde março, mais de 60 pessoas morreram no Sistema e pelo menos 46 presos morreram, sem causa identificada. “A testagem vai diminuir a vulnerabilidades dos internos, dos funcionários e das famílias. O governador precisa sancionar essa lei o quanto antes. É questão de vida ou morte”, concluiu a deputada Renata Souza.
Publicidade
 
(