Cinemas e teatros da capital seguirão fechados

De acordo com a prefeitura, estabelecimentos terão que aguardar o início da Fase 6 de flexibilização para retomar suas atividades

Por RENAN SCHUINDT

Cine Imperator do Méier: grades e programação suspensa no Rio até aval da prefeitura para reabertura
Cine Imperator do Méier: grades e programação suspensa no Rio até aval da prefeitura para reabertura -

O mesmo decreto do governo estadual que liberou a retomada das aulas também permitiu que cinemas e teatros, em sete regiões, entre elas a Metropolitana, voltem a funcionar. No entanto, como a liberação tem caráter de recomendação, serão os municípios que vão decidir se liberam ou não o funcionamento dos estabelecimentos culturais.

Segundo a Prefeitura do Rio, a retomada vai acontecer apenas na Fase 6 de flexibilização, que acabou adiada após a prorrogação da Fase 5 até o fim deste mês. Por enquanto, apenas a Prefeitura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, confirmou que irá seguir as recomendações do estado.

De acordo com Gilberto Leal, presidente do Sindicato das Empresas Exibidoras de Cinema do Estado do Rio, o setor está em contato com as prefeituras para que as salas possam reabrir entre 27 de agosto e 3 de setembro. "Todos os cinemas já estão com os protocolos de segurança e atividades preparadas para receber o público. Assim que cada município autorizar, estaremos aptos a funcionar", afirmou.

Ontem, mais uma vez profissionais de teatro manifestaram-se contrários à volta. "Claro que nós queremos trabalhar, que a economia do setor volte a aquecer. No entanto, consideramos que a vida e a saúde são mais importantes", afirmou Eduardo Barata, presidente da Assoc. de Produtores de Teatro.

Segundo prevê o decreto estadual, salas de teatro, de concertos e centros culturais poderão abrir com 1/3 da sua capacidade. Também deverão ser respeitadas as normas do Protocolo de Segurança Sanitária elaborado pela Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado (Funarj). Já os cinemas, deverão funcionar com 40% das ocupações e distanciamento mínimo de 2 metros.

Municípios vão decidir

Vale ressaltar que a liberação, que passou a valer desde ontem, contempla os estabelecimentos culturais das regiões da Baía da Ilha Grande, Baixada Litorânea, Metropolitana I, Metropolitana II, Noroeste, Norte e Serrana. Todas com bandeira amarela, que representa baixo risco de contágio da covid-19.

Comentários