Crivella não contará com o apoio formal do vice-presidente Hamilton Mourão na sua campanha - Luciano Belford
Crivella não contará com o apoio formal do vice-presidente Hamilton Mourão na sua campanhaLuciano Belford
Por ESTADÃO CONTEÚDO
Publicado 07/09/2020 19:58 | Atualizado 07/09/2020 19:58
Rio - Quatro dias após conseguir escapar de um processo de impeachment por improbidade administrativa, rejeitado pelos vereadores por 25 votos a 23, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, oficializou nesta segunda-feira, sua candidatura à reeleição pelo Republicanos. Ainda não está definido quem será o candidato a vice.
O vice eleito na chapa de Crivella para a atual gestão, Fernando Mac Dowell, morreu em 20 de maio de 2018, vítima de um enfarte após praticamente um ano e meio de mandato.
Publicidade
Por enquanto, sete partidos compõem a coligação "Com Deus, pela família e pelo Rio", que têm o atual prefeito como candidato: Patriota, Podemos, Progressistas, Solidariedade, PTC, PRTB e o próprio Republicanos. A oficialização ocorreu durante convenção do Republicanos, realizada na tarde desta segunda-feira em um centro de convenções em Del Castilho, na zona norte do Rio.
Também foram oficializados os 77 candidatos a vereador que vão tentar se eleger pelo Republicanos, entre eles o atual vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e a mãe de Carlos e ex-mulher do presidente, Rogéria Nantes, que foi vereadora por dois mandatos (1993-1996 e 1997-2000). Além de Carlos, o senador Flávio Bolsonaro também integra o Republicanos.
Publicidade
Em discurso durante a convenção, Crivella criticou a imprensa e se comparou a Bolsonaro: "O presidente tomou uma facada. Outra pessoa diria: 'Minha vida em primeiro lugar'. Mas nosso líder colocou a vida do povo à frente. Nossa luta é para sermos como o presidente Bolsonaro e colocar até nossa vida em segundo plano", afirmou.
Crivella teve o processo de impeachment rejeitado pelo caso dos "guardiões", em que é acusado de cometer improbidade administrativa por manter servidores públicos ao redor de hospitais municipais com a missão de impedir o trabalho da imprensa e evitar reportagens sobre eventuais problemas nas unidades de saúde, mas é investigado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ).
Publicidade
Outros candidatos
Nesta segunda-feira também foi oficializada a candidatura de Hugo Leal à prefeitura do Rio pelo PSD, partido cujo presidente nacional é Gilberto Kassab. Leal é deputado federal. Entre os candidatos a prefeito do Rio já oficializados em convenções estão o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), a deputada estadual Roberta Souza (PSOL) e o empresário Fred Luz (Partido Novo).