Acareação está marcada para o próximo dia 21 - Ricardo Cassiano e Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Acareação está marcada para o próximo dia 21Ricardo Cassiano e Gilvan de Souza / Agencia O Dia
Por ESTADÃO CONTEÚDO
Rio - O Ministério Público Federal (MPF) negou o pedido do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) para alterar a data da acareação entre ele e o empresário Paulo Marinho, agendada para o próximo dia 21. A informação foi divulgada nesta segunda-feira, pelo "Jornal Nacional" (TV Globo).

A acareação fará parte da investigação sobre o suposto vazamento de informações da Operação Furna da Onça, deflagrada em 2018 para investigar esquemas de corrupção na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).
Foi durante essa investigação que um relatório do antigo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) indicou movimentação financeira suspeita de Fabrício Queiroz, que era assessor parlamentar do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. A partir daí começou a investigação sobre o suposto esquema de "rachadinha" (devolução de parte do salário, por assessores) no gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro.

A acareação é necessária porque Marinho diz que Flávio Bolsonaro tomou conhecimento antecipado sobre a investigação policial. O suplente e então aliado teria lhe contado sobre a ação ainda em 2018. O senador e hoje adversário de Marinho nega ter tido qualquer informação privilegiada.

Segundo o Jornal Nacional, a defesa de Flávio Bolsonaro informou que ele não vai comparecer à acareação na data marcada, porque, como parlamentar, tem direito a marcar dia, local e hora para seus depoimentos.