Músico disse estar sendo perseguido pela PM - Reprodução / Instagram
Músico disse estar sendo perseguido pela PMReprodução / Instagram
Por O Dia
Rio - O DJ Rennan da Penha denunciou que ele e a namorada sofreram uma abordagem truculenta de policiais militares quando estavam de carro, no sábado. O músico disse que a placa de seu carro foi fotografada e está circulando em grupos de mensagens de PMs como se fosse de um foragido da Justiça.
"Eu estava na casa da Ludmilla fazendo um trabalho e na volta eu sofri uma abordagem totalmente desrespeitosa, totalmente agressiva por parte da PM do Rio de Janeiro, alegando que meu carro estava em posse de um bandido chamado Di Raça do Baile da Penha", reclamou, em vídeos postados em seu Instagram.
Publicidade

Galeria de Fotos

Fotos do carro do DJ que circulam por grupos de policiais Reprodução / Internet
Fotos do carro do DJ que circulam por grupos de policiais Reprodução / Internet
O artista publicou o que seria um áudio que circulou entre os PMs antes de ser abordado.
Publicidade
"Pegou Linha Amarela, faz contato com o BPVE para abordar ele. Tá ele e uma menina. É o Di Raça do Baile da Penha. Sozinho, boiando. Acabou de pegar a Linha Amarela aqui, avisa o BPVE. New Civic geração 10 branco", diz a mensagem.
Publicidade
Revoltado com a situação, o DJ alegou estar sendo perseguido pela Polícia Militar. Ele diz estar com medo, principalmente porque usa o veículo também para andar com seus filhos e o restante da família.
"A foto da placa do meu carro está rodando em todos os grupos de policiais do Rio de Janeiro. E por que isso? Não tenho mais o direito de ir e vir? O que está acontecendo?", criticou. "Eu tenho um filho no Complexo do Alemão e um filho no Complexo da Penha, como é que vou buscar meus filhos para ficarem comigo?".
Publicidade
'É FUZIL NA CARA'
Publicidade
"Eu não posso mais trabalhar em paz, eu não posso seguir minha vida em paz. Estou livre, estou liberto, estou trabalhando. Não estou fazendo nada de errado. Nunca fiz nada de errado, na verdade", alegou. "Sou ex-presidiário. O ex-presidiário não tem direito de ressocializar? Até porque eu não tinha que ressocializar porque eu nunca fiz nada de erado na minha vida".
O DJ afirmou ainda que está sendo perseguido pela PM e que quando foi abordado os policiais disseram que ele iria ser preso novamente.
Publicidade
"Quando ele (o policial) chegou pra mim disse 'já tá dado, já tá ligado que vai preso de novo?'. Não rolou um 'boa noite', não rolou nada. É fuzil na cara", lamentou.
O músico disse que irá prestar queixa na Polícia Militar contra a abordagem nesta segunda-feira.
Publicidade
Procurada pelo DIA, a PM disse que aguarda a formalização da denúncia "para que seja possível alcançar dados essenciais para o trabalho de apuração da Corregedoria, indo além do relato que circula nas mídias sociais". A corporação não deu detalhes da ocorrência registrada pelos militares. 

"A Polícia Militar esclarece ainda que as abordagens feitas em vias públicas são uma das principais ações preventivas voltadas para a redução dos índices criminais e transmissão de maior sensação de segurança. Reconhecemos o desconforto causado, mas destacamos que a colaboração da população a este tipo de serviço, agiliza a ação e a torna mais segura e efetiva", a PM acrescentou.