Sede da Secretaria de Saúde de Magé foi alvo da operação da Polícia Federal: desvios milionários e críticas da população - Divulgação / Polícia Federal
Sede da Secretaria de Saúde de Magé foi alvo da operação da Polícia Federal: desvios milionários e críticas da populaçãoDivulgação / Polícia Federal
Por Igor Silva
RIO - Palco de uma operação da Polícia Federal por causa de fraudes na Saúde, o Município de Magé ganhou os noticiários nos últimos dias. A secretária de Saúde, Carine Tavares, chegou a ser presa suspeita de integrar um esquema que teria desviado R$ 9 milhões do Sistema Único de Saúde (SUS). Para quem vive na cidade da Baixada Fluminense, a realidade de depender das unidades públicas de saúde é dura.
Magé não possui um hospital de grande porte. Quem precisa de atendimento de urgência e emergência tem que procurar os postos 24h (em Fragoso, Suruí, Santo Aleixo e Mauá) ou recorrer aos municípios vizinhos, como Duque de Caxias e Guapimirim.
"As pessoas estão morrendo por falta de atendimento médico e insumos básicos. A saúde de Magé é uma vergonha", escreveu Marília França na página oficial da prefeitura, no Facebook.
Estruturar a rede municipal de saúde será um dos grandes desafios do próximo prefeito ou prefeita de Magé. Assim como fornecer acesso aos serviços de coleta e tratamento de esgoto. No município, mais de 80% das pessoas não possuem o serviço, segundo dados do IBGE. Além disso, nenhum volume de esgoto é tratado na região.
"Magé precisa avançar muito. Temos uma diversidade natural incrível que precisa ser preservada. A cidade tem um potencial enorme no turismo verde, mas ninguém enxerga isso", apontou o guia de turismo Mauro Nogueira.
O outro lado
Em resposta, a Prefeitura de Magé afirma que possui um investimento de 27% na área da Saúde, "quase o dobro do mínimo exigido pela Cpnstituição". Alega, ainda, que a gestão de Rafael Tubarão está realizando as obras da Nova Casa de Saúde Nossa Senhora da Piedade, além de ter renovado a frota de ambulâncias do Samu e do Transporte Sanitário.
"Equipamentos de saúde para exames estavam abandonados em ginásios poliesportivos. Tudo foi reabastecido. Criamos um Complexo de Saúde em Piabetá com Centro de Diagnósticos por Imagem, Maternidade com Rede Cegonha e parto humanizado e Centro de Pediatria", afirmou, em nota, lembrando ter informatizado a coleta de dados do e-SUS. "Somos o município com maior porcentagem de cobertura na Região Metropolitana I em Atenção Básica, com 79,92% da meta estabelecida", completou.

RAIO-X
População: 246.433 habitantes (IBGE 2020)
Densidade demográfica: 585,13 hab/km² (IBGE)
Economia: Turismo, Agricultura, Pesca e Comércio
Eleitores: 193.559 (TRE)

OS CANDIDATOS

Boneco (PMN)
Carlos Henrique Rios Lemos, mais conhecido como Boneco, é motorista particular e também atleta. Em março deste ano, ganhou projeção ao ir, de bicicleta, até Brasília para falar com o presidente Jair Bolsonaro, mas não o encontrou por causa da covid-19. Em 2016 e 2012, concorreu ao cargo de vereador, mas não conseguiu a vaga.

Jane Reis (MDB)
Irmã do prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, Jane é professora e estudante de Direito. Concorre pela primeira vez em uma eleição majoritária e vai contar com apoio da família Reis para tentar se eleger. Terá as bandeiras da saúde e geração de emprego como prioridade de um futuro governo.

Ricardo da Karol (PSC)
O empresário do setor moveleiro é ex-deputado estadual e já concorreu à Prefeitura de Magé em 2012, ficando em 2º lugar, com 33.435 votos. Nesta eleição, Ricardo terá apoio dos partidos PDT, PMB, Podemos, Republicanos, PSC e Solidariedade.

Rogério do Valle (PL)
Vereador pelo segundo mandato consecutivo, Rogério do Valle é o candidato da situação. Ou seja, é apoiado pelo atual prefeito de Magé, Rafael Tubarão. Em 2010, chegou a ser candidato a deputado estadual, mas não se elegeu. Tenta agora pela primeira vez ser prefeito de Magé.

Renato Cozzolino (PP)
O mais jovem deputado estadual da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vai concorrer pela primeira vez para a prefeitura do município da Baixada Fluminense. Renato é sobrinho da ex-prefeita de Magé Núbia Cozzolino e filho da ex-deputada estadual, Jane Cozzolino.

Sargento Lopes (PSD)
O empresário é vereador de mandato e já participou de outras eleições em Magé. Na última eleição, em 2018, concorreu para deputado federal pelo PDT, mas não foi eleito. Lopes teve um total de 15.887 votos. Ele foi eleito vereador pelo mesmo partido com 1.428 votos, em 2016.