Petrópolis tem um problema crônico de ocupação irregular de solo - Divulgação
Petrópolis tem um problema crônico de ocupação irregular de soloDivulgação
Por Marco Antonio Pereira
PETRÓPOLIS - Localizada a 68km da capital Rio de Janeiro, Petrópolis tem uma população de 306.678 habitantes (IBGE 20202) e é uma das cidades do interior do estado onde é exigida a realização de segundo turno nas eleições municipais, caso seja necessário. A economia de Petrópolis é baseada no turismo histórico e cultural, e nos setores secundário e terciário, com destaque para o comércio de roupas, a fabricação de cerveja e a produção de hortifrutigranjeiros.

Como toda cidade do país, o maior desafio do município é reativar a economia castigada pela pandemia do novo coronavírus, que afetou diretamente um dos pilares de sua sustentação: o turismo.

O comércio local, atrelado também ao consumo dos visitantes, foi fortemente castigado pela pandemia. A cidade foi uma das primeiras do estado a montar barreiras sanitárias em seus acessos, a cortar a ligação de linhas de ônibus intermunicipais e interestaduais e proibir a entrada de pessoas que não fossem moradoras, tudo para conter a propagação da covid-19.

Com isso, hoje colhe resultados positivos, como a baixa taxa de ocupação de leitos de enfermaria e UTI nas unidades públicas e privadas, mas sofre com uma queda de arrecadação e fechamento de estabelecimentos ligados a seu motor da economia.

Além disso, a cidade quase sempre ganha manchetes pelo país afora na época das chuvas, devido a deslizamentos de encostas e enchentes, que geralmente causam prejuízos e perda de vidas. Esse é um problema crônico da cidade, onde a ocupação desordenada do solo ao longo das décadas fez com que milhares de pessoas vivam em áreas de risco.
RAIO-X
População: 306.678 habitantes (IBGE 2020)
Densidade demográfica: 371,85 habitantes por Km² (IBGE)
Atividades econômicas: Turismo, fabricação de roupas e cervejas
Eleitores: 240.152 (TRE)


OS CANDIDATOS

Alexandre Gurgel (Cidadania)
Formado em Ciência Náuticas, Alexandre Gurgel tem 52 anos, é carioca, mas vive com a família em Petrópolis há mais de 20 anos. Já ocupou cargos no governo municipal, além de ser consultor de empresas privadas e professor universitário. Esta é sua primeira candidatura a um cargo público.

Arnaldo Vieira Neto (PRTB)
É o candidato da coligação “Petrópolis: Direita, em Ordem e Unida! Militar, pertence ao quadro de Oficiais Combatentes da PMDF, já tendo participado de missões de paz em Angola e Sudão.

Bernardo Rossi (PL)
Bernardo Rossi é o atual prefeito de Petrópolis e vai tentar a reeleição pela coligação “Cuidando de Petrópolis com Responsabilidade!” (PL, DEM, MDB, DC e PTB). Tem 40 anos, é formado em Direito e foi vereador por dois mandatos, 2004 e 2008. Em 2010, foi eleito deputado estadual e, em 2014, reeleito com 56.806 votos. Também já ocupou o cargo de secretário de Estado de Habitação.

Eduardo Silvério (Podemos)
O candidato do Podemos na coligação “Petrópolis Volta a Sorrir” é petropolitano, empresário do setor imobiliário e já passou pela administração pública municipal, ocupando cargos em governos anteriores, além de ter organizado as primeira eleições para o Conselho Tutelar na cidade.

Elias Montes (PSL)
O candidato do PSL na disputa ao governo municipal pela coligação “Juntos Vamos Cuidar de Petrópolis” tem 53 anos, é formado em Direito e diplomado pela Escola Superior de Guerra em Políticas Estratégicas. É inspetor aposentado da Polícia Rodoviária Federal e nunca tinha concorrido a um cargo público antes.

Jamil Sabrá Neto (PSC)
Jamil Sabrá Neto tem 34 anos e é graduado em Administração de empresas com especialização em finanças e administração pública. Foi vereador em Petrópolis no período 2017-2020, tendo aprovado 25 leis. Vai concorrer ao cargo de prefeito pela coligação “Petrópolis Vai Dar Certo”.

Marcos Novaes (PDT)
Marcos Novaes é candidato pela coligação “Conectados por Petrópolis!”. Catarinense de nascença, veio viver em Petrópolis aos seis anos de idade e é empresário da área de pesquisas. Já foi vereador por um mandato (2005 a 2008), presidente da Comdep e da APE.

Matheus Quintal (Republicanos)
Candidato escolhido pela chapa “Petrópolis levada a sério!”, Matheus Quintal é petropolitano e foi chefe do escritório regional do Ministério da Cidadania no Sudeste.

Professora Lívia Miranda (PCdoB)
É professora da rede municipal de ensino, especializada em estudantes com deficiência. Defende uma educação pública inclusiva, democrática e de qualidade para todos. Também é militante de movimentos sociais pelos direitos de mulheres e pessoas LGBTIA+. Lívia concorre na coligação “Petrópolis para Todas e Todos”, formada por PCdoB e PT.

Professor Zé Luiz (PSOL)
José Luiz de Souza Lima é natural do Rio de Janeiro e tem 57 anos. É graduado e licenciado em História pela UFRJ. É a primeira vez que concorre em uma eleição, nunca tendo ocupado um cargo público.

Professor Leandro Azevedo (PSD)
Atualmente, Leandro Azevedo, de 43 anos, é vereador em Petrópolis, tendo sido eleito em 2016 com mais de 2000 votos. Concorre pela primeira vez ao cargo de prefeito, pela coligação “De Mãos Dadas com Petrópolis”. Formado em Educação Física, já exerceu o cargo de gerente de Esportes Comunitários da Prefeitura Municipal.

Ramon Mello (Avante)
O advogado Ramon Mello é petropolitano e concorre pela chapa “Avante Petrópolis!” Já foi servidor público municipal e hoje assessora o deputado Luiz Paulo, tendo elaborado o pedido de impeachment do governador Wilson Witzel apresentado pelo parlamentar na Alerj.

Rubens Bomtempo (PSB)
O ex-prefeito Rubens Bomtempo, 58 anos, vem tentar mais uma vez governar a cidade depois de dois mandatos seguidos no período 2001-2008. O candidato é médico e tem como parceiro de chapa o também ex-prefeito Paulo Mustrangi, que desistiu de concorrer ao cargo para ser vice de Bomtempo nestas eleições.