O ex-prefeito Eduardo Paes  - Fernando Frazão/Agência Brasil
O ex-prefeito Eduardo Paes Fernando Frazão/Agência Brasil
Por O Dia
Publicado 20/10/2020 18:50 | Atualizado 20/10/2020 21:29
Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) decidiu, na tarde desta terça-feira, bloquear os bens do ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes por um processo sobre irregularidades em uma licitação de linhas de ônibus. A decisão foi dada pelo desembargador Gilberto Matos, da 15ª Câmara Cível. Além disso, também foram bloqueados os bens de Paulo Roberto Santos Figueiredo, subsecretário de gestão da Secretaria Municipal de Educação durante a gestão de Paes, e também o Sindicato das Empresas de Ônibus do Rio (Rio Ônibus).
De acordo com o MPRJ, o montante bloqueado é de R$ 240,3 milhões e será recolhido pela Justiça entre as três partes em questão, até que o valor seja atingido.
Publicidade
Procurada pelo DIA, a assessoria do ex-prefeito informou que "o processo baseia-se em relatório elaborado por adversários políticos de Eduardo Paes, que se utilizam politicamente da justiça para prejudicá-lo. O MP questiona o pagamento, pela Prefeitura, da gratuidade nas passagens de ônibus concedida aos estudantes da rede municipal. Não há, no processo, qualquer acusação de corrupção."
Disse ainda que o Tribunal de Contas do Município já examinou e rejeitou os questionamentos feitos no processo. "Infelizmente, a decisão foi tomada sem que antes Eduardo Paes tenha sido chamado para se defender. Ele segue confiando na justiça e que, após prestados os esclarecimentos necessários, a decisão será revogada", finalizou.
Publicidade
Em sua declaração de bens, feita em setembro, Paes informou ser dono de um patrimônio de R$ 478.358,42. Desse total, apenas R$ 15,1 mil dizem respeito ao saldo bancário, enquanto o restante está dividido entre duas aplicações financeiras.