Rio Paiva Pneus, loja de equipamentos de veículos onde foram atendidos alguns pacientes do hospital - Reprodução
Rio Paiva Pneus, loja de equipamentos de veículos onde foram atendidos alguns pacientes do hospitalReprodução
Por Beatriz Perez
Rio - O resgate feito por funcionários do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) e por equipes do Corpo de Bombeiros a pacientes que estavam na unidade de saúde durante o incêndio que atingiu o local, teve como ajuda um container ao lado do prédio 2 do hospital e uma loja de pneus, a Rio Paiva Pneus, que fica do outro lado da rua. A estimativa é de que pelo menos 50 pessoas tenham sido atendidas nos dois locais que foram improvisados. Algumas camas, cilindros de oxigênio e cadeiras de roda também foram encaminhados para dar suporte às vítimas. 
Segundo a assessoria do hospital, ao todo, 289 pacientes estavam internados na unidade, dois morreram, 143 já foram transferidos e outros 144 ainda serão levados para outros hospitais. De acordo com Carlos César Assef, coordenador médico assistencial do local, pacientes graves foram alocados em um primeiro momento na unidade materno infantil e, posteriormente, transferidos para outras unidades.
Publicidade
Container também ajudou a atender as vítimas do incêndio  - Arquivo Pessoal
Container também ajudou a atender as vítimas do incêndio Arquivo Pessoal
O início do incêndio
Publicidade
O incêndio que atingiu a unidade de saúde começou por volta das 9h30. Bombeiros de pelo menos 13 unidades atuavam para combater as chamas. Agentes do quartel do Fundão foram acionados às 9h50 para a ocorrência. No local, houve movimentação intensa de ambulâncias para fazer transferências de pacientes e de funcionários que carregavam equipamentos, e estruturas como sofás. 
O edifício atingido pelo incêndio foi o prédio 1, onde ficam as enfermarias e são realizados exames de imagem. O fogo começou no subsolo do pavilhão e atingiu o almoxarifado, onde fraldas ficam guardadas. Ainda não há informações sobre a causa do incidente.
Publicidade
Durante a transferência, uma paciente de 42 anos, identificada como Núbia da Silva Rodrigues, morreu. A mulher, que estava internada com covid-19 em estado grave, saiu com vida e veio a falecer a caminho do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. Cerca de 168 homens participaram do combate às chamas.
A Polícia Federal informou que instaurou inquérito para investigar as circunstâncias do incêndio. Agentes estiveram na unidade de saúde para o início das investigações, e aguardam o resfriamento do local do incêndio para realizar a perícia.
Publicidade
Falta de equipamento
Sidney Castro, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Trabalho e Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Sindsprev-RJ), informou que as mangueiras e hidrantes que haviam na unidade de saúde não funcionavam
Publicidade
"Foi uma tragédia anunciada. A falta dos equipamentos dificultou ainda mais a retirada dos pacientes e o combate ao fogo. É importante lembrar que, durante as transferências, uma mulher de 42 anos, internada com covid, veio a falecer. Tudo isto é produto da irresponsabilidade dos governos, que nos últimos anos pouco se importaram com as vidas de servidores e pacientes", afirmou Castro.