O governador em exercício, Cláudio Castro, pediu análise mais criteriosa do Corpo de Bombeiros - Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
O governador em exercício, Cláudio Castro, pediu análise mais criteriosa do Corpo de BombeirosReginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, disse que vai cobrar uma análise mais criteriosa do Corpo de Bombeiros nas unidades de saúde localizadas no estado. A declaração foi dada a jornalistas em Brasília depois de uma reunião em que o governante participou no Supremo Tribunal Federal (STF) para discutir sobre royalties do petróleo. Três pessoas morreram no incêndio que atingiu o Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) nesta terça-feira.
O HFB não tinha a certificação de aprovação do Corpo de Bombeiros e o Ministério da Saúde já tinha sido alertado pela Defensoria Pública da União (DPU), em 2019, sobre irregularidades na estrutura de combate a incêndios da unidade de saúde.
Publicidade
"O Corpo de Bombeiros, quando recebe denúncias, vão fazendo esse processo de fiscalização, de renovação de concessão. Certamente vou pedir para que a corporação faça uma análise mais criteriosa ainda do que já faz, e olha que ela é bem criteriosa, mas para que a gente possa evitar situações como essa", afirmou Castro.
O governador em exercício também  disse que a Polícia Civil do Rio iria investigar as causas do incêndio, mas a competência é da Polícia Federal, já que se trata de um hospital federal. "A fase agora é de perícia, a Polícia Civil deve inclusive estar fazendo essa perícia, para que a gente possa abrir um inquérito e, aí sim, encontrar o que aconteceu e, se for o caso, mandar para o Ministério Público, ou não mandar, dependendo do que o inquérito vai dizer o que aconteceu", ressaltou Castro.
Publicidade
Procurado pelo DIA, o Ministério da Saúde informou que determinou a abertura de sindicância para apurar as causas que levaram ao incêndio. "A prioridade, no momento, é garantir o atendimento em segurança da população, uma vez que as consultas e exames laboratoriais no complexo estão temporariamente suspensos. Para isso, a pasta disponibilizará toda a estrutura de saúde da rede federal do Rio de Janeiro, de forma que não haja prejuízo na assistência", disse.