Defesa Civil fará vistoria na estrutura do prédio de Hospital Federal de Bonsucesso - Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Defesa Civil fará vistoria na estrutura do prédio de Hospital Federal de BonsucessoReginaldo Pimenta / Agência O Dia
Por O Dia
Rio - Técnicos da Defesa Civil do município do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), vão realizar uma vistoria da estrutura afetada no Hospital Federal de Bonsucesso, após a liberação do local pelo Corpo de Bombeiros. O hospital foi atingido por um incêndio na última terça-feira.
O objetivo desta vistoria é verificar se o imóvel apresenta risco estrutural.
Publicidade
"Os bombeiros ainda estão trabalhando na fase de rescaldo, que exige muita calma, porque é uma etapa que precisa ser tecnicamente muito bem finalizada, para cessar todos os focos de incêndio, e então liberar a área para as equipes da perícia e da Defesa Civil", explica o subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Djalma de Souza Filho.
Publicidade
Os técnicos da Defesa Civil municipal estão atuando no local desde às 11h17 de terça-feira, logo após o acionamento do órgão.
Os agentes isolaram a área do incêndio e os acessos ao hospital e retiraram transeuntes das áreas de atuação das equipes de resgate, além de dar suporte ao trabalho dos bombeiros.
Publicidade
Alerta de risco de incêndio
O incêndio que atingiu o Hospital Federal de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, era questão de tempo para acontecer. O Ministério da Saúde já tinha sido alertado desde 2019 sobre os diversos problemas na estrutura de combate a incêndios da instituição. A própria direção do hospital havia informado em relatórios sobre os defeitos estruturais importantes que podiam comprometer a segurança do local. 

Vítimas de uma tragédia anunciada 

 

Ao todo, foram três vítimas fatais do incêndio. A primeira paciente que faleceu foi a técnica de radiologia e fonografia, Núbia da Silva Rodrigues, de 42 anos, internada por complicações da covid-19. O garçom Marcos Paulo Luiz, de 39 anos, internado há mais de 20 dias por conta de uma bactéria. Também faleceu uma senhora de 83 anos, que não teve a identidade revelada, que estava internada com covid-19 e em estado grave no CTI coronariano.

 

Procurado pelo DIA, o Ministério da Saúde informou que determinou a abertura de sindicância para apurar as causas que levaram ao incêndio. "A prioridade, no momento, é garantir o atendimento em segurança da população, uma vez que as consultas e exames laboratoriais no complexo estão temporariamente suspensos. Para isso, a pasta disponibilizará toda a estrutura de saúde da rede federal do Rio de Janeiro, de forma que não haja prejuízo na assistência", disse.