Pela decisão do juiz, Ronnie Lessa e Élcio Queiroz deverão ser mantidos presos durante todo o processo
 - Divulgação / Polícia Civil
Pela decisão do juiz, Ronnie Lessa e Élcio Queiroz deverão ser mantidos presos durante todo o processo Divulgação / Polícia Civil
Por O Dia
Rio - O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ) pediu à Justiça que o sargento reformado da PM Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Queiroz, acusados de matar a vereadora Marielle Franco (Psol), fiquem em presos em diferentes penitenciárias. Eles são acusados de homicídio duplamente qualificado por motivo torpe, emboscada e sem dar chance de defesa às vítimas.
Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes foram mortos no dia 14 de março de 2018. Eles foram presos em março de 2019, um ano após o crime. Ambos estão presos no presídio federal de segurança máxima de Porto Velho, Rondônia. 
Publicidade
Élcio Queiroz foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) a 5 anos de prisão. Ele era motorista do carro que foi usado no dia do crime e irá responder por porte ilegal de arma. Na ocasião, ele dirigia para o sargento reformado da PM Ronnie Lessa, acusado de efetuar os disparos contra as vítimas.
Élcio foi expulso da Polícia Militar em janeiro de 2015 após conclusão do Conselho de Disciplina instaurado pela Corregedoria da corporação. Nele, ficou constatado a participação dele com a contravenção (atividade ilegal de exploração de jogos de azar), de a cordo com a PM. No dia 12 de março de 2019, ele foi preso na Operação Lume, do Ministério Público e a Polícia Civil, dois dias antes dos assassinatos de Marielle e Anderson completarem um ano.