Projeto
Projeto "Meninos do Mangue" visa o estudo do bioma do manguezal, a flora e a fauna Divulgação/Prefeitura do Rio
Por O Dia

Professores da rede municipal de ensino do Rio venceram o Prêmio Light nas Escolas, com o projeto Meninos do Mangue. A professora Claudia Ernest, da Escola Municipal Vieira Fazenda, em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste, foi a grande ganhadora. O trabalho dos professores consistiu na gravação de um vídeo de até três minutos contando como cada um lecionou sobre educação ambiental em 2020. Eles marcaram o @centroculturallight e a hashtag #premiolightnasescolas para a votação.

Em segundo lugar ficou a professora Jessica Carvalho, do Espaço de Desenvolvimento Infantil Ana de Barros Câmara, em Coelho Neto, e o terceiro ficou com o professor Edson Borges, da Escola Municipal Medalhista Olímpico Diego Matias Hypolito, em Inhoaíba, também da Zona Oeste. A votação dos trabalhos foi realizada pelas redes sociais do Centro Cultural Light.

"O projeto Meninos do Mangue visa o estudo do bioma do manguezal, a flora, a fauna e o movimento das marés. E, sobretudo, a valorização dos meninos, que estudam na escola e também são catadores de caranguejo. São filhos e netos de pessoas que, ainda no ano de 2020, vivem da extração de caranguejo", explica a grande vencedora, a professora Claudia Ernest, em um vídeo onde dá mais detalhes sobre seu projeto.

Todos os anos, a Secretaria Municipal de Educação, por meio da Coordenadoria de Projetos de Extensão Curricular (CPEC), incentiva a participação no prêmio de escolas da rede com trabalhos de sustentabilidade e consumo consciente de energia elétrica. De acordo com a coordenadora do Programa Educativo Cultural da Light, Estela Alves, neste ano houve um novo desafio por conta da pandemia do novo coronavírus, que assolou a sociedade e atrapalhou, e muito, a educação.

"Foi tudo feito por rede social. Os professores vão ganhar um celular, kit de apoio à gravação de vídeos, com conjunto de lentes, tripé e anel de luz (ring light) para celular, livro O Manual do Mundo e óleos essenciais para relaxar", afirma ela, acrescentando que o Museu da Light está sendo reformado e assim que a pandemia acabar voltará receber a visita dos alunos.

Você pode gostar
Comentários