O julgamento está suspenso desde novembro por causa de um pedido de vista do ministro João Otávio Noronha - Beto Barata / AgÊNcia Senado
O julgamento está suspenso desde novembro por causa de um pedido de vista do ministro João Otávio NoronhaBeto Barata / AgÊNcia Senado
Por O Dia
Rio - O auditor da Receita Federal, Christiano Paes Leme Botelho, citado pela defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) foi exonerado do cargo de chefia do escritório da corregedoria do órgão, no Rio de Janeiro. A exoneração aconteceu a pedido dele mesmo e foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira (4). 
Paes Leme estava no cargo há pelo menos 15 anos e, durante este período, coordenou trabalhos que ajudaram na Lava Jato em duas investigações contra auditores fiscais sob suspeita de cobrar propina de empresários investigados.
Publicidade
Um dos advogados de Flávio tenta anular provas da investigação de rachadinha contra seu cliente alegando que os dados fiscais dele foram acessados irregularmente.
Em agosto, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com advogados de Flávio e convocou para o encontro o chefe do gabinete de segurança institucional, ministro Augusto Heleno, e o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem. O objetivo era identificar falhas na conduta da Receita Federal, mas eles não encontraram provas de qualquer irregularidade.