PMs prestaram continência em homenagem ao colega de farda morto durante assalto - Reprodução
PMs prestaram continência em homenagem ao colega de farda morto durante assaltoReprodução
Por O Dia
Rio - Policiais militares fizeram uma homenagem ao cabo Derinaldo Cardoso dos Santos, 34 anos, neste sábado na praia do Arpoador, Zona Sul do Rio. O PM foi morto nesta sexta-feira, ao tentou impedir um assalto a uma loja da Casa & Vídeo no Centro de Mesquita, na Baixada Fluminense.

Os PMs pararam as viaturas na orla da praia do Arpoador e acionaram as sirenes e prestaram continência ao cabo Cardoso durante um minuto. 
Publicidade
O policial Cardoso, lotado no 20º BPM (Mesquita) foi atingido por um tiro na cabeça e chegou a ser encaminhada ao Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) em estado gravíssimo. Ele passou por uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.
O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). Cardoso foi enterrado neste sábado em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.
Publicidade
Segundo a plataforma Fogo Cruzado, somente em 2020, 135 agentes de segurança foram baleados no Grande Rio, sendo 53 mortos e 82 feridos.
Detido durante homenagem
Publicidade
Dois homens foram detidos durante ao ato em homenagem ao policial. Ele estava filmando os policiais e dizia: "Vai morrer, polícia. Vai morrer polícia. Fica fazendo homenagem aí, os amigos 'tá' vendo, hein. Vai chegar no Chapa (Chapadão) vai tomar um monte de tiro."
O celular que estava com o homem e continha as imagens ameaçando os policiais foi apreendido. A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que os policiais militares do 23ºBPM (Leblon) faziam homenagem no Arpoador quando notaram dois homens cometendo apologia ao crime. Os dois foram conduzidos para a 14ª DP.

Luto na cidade de Mesquita

A Prefeitura de Mesquita decretou luto oficial por três dias na cidade (até segunda-feira), em homenagem ao cabo Derinalto Cardoso dos Santos.

Em nota, publicada no site da prefeitura, a administração municipal diz que "lamenta e manifesta o mais profundo pesar pela morte do policial militar. Perdemos não só alguém que lutava pela segurança e pelo bem-estar de toda a população do estado do Rio, cabo Cardoso protegia, em especial, a população mesquitense e as pessoas que trabalham ou circulam pelo município".


Um preso e arma do crime apreendida

A Polícia Militar apreendeu, na sexta-feira, a arma utilizada para assassinar o cabo Cardoso. Um dos dois participantes do crime, Jhonny Silva Quirino, foi preso. O bandido que disparou na cabeça do policial ainda é procurado. A arma utilizada no momento do crime foi localizada e apreendida horas depois em um esconderijo na Vila Kennedy, Zona Oeste do Rio.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o tenente-coronel Marco Antonio Santos de Melo, do 20º BPM, afirmou que irá seguir em busca do assassino.

"Nós recebemos dados de onde estaria a arma do crime que foi levada pelo irmão dele, menor de idade, da comunidade da Vila Kennedy para um esconderijo. Chegamos nesse esconderijo, achamos a arma e o irmão. Estaremos incansáveis até a gente pegar esse assassino do nosso herói policial Cabo Cardoso. Cardoso, que Deus o tenha. A sua família não vai ter o amargor da injustiça. Seguiremos firme. Conte com a Polícia Militar e com o 20º Batalhão".