Instituto de Educação em estado de abandono. - Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Instituto de Educação em estado de abandono.Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Por Anderson Justino
Rio – Quem passa pelo número 273 da Rua Mariz e Barros, no Maracanã, na Zona Norte do Rio, reclama da falta de manutenção e limpeza nas dependências do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, antigo Instituto de Educação do Rio de janeiro. O prédio, inaugurado em abril de 1880 pelo imperador Dom Pedro II, faz parte da história da educação no Brasil. O que antes era ocupado por centenas de estudantes e servidores, deu lugar ao lixo, folhas e galhos de árvores. As paredes foram pichadas e as janelas e portas de vidro depredadas. As aulas estão suspensas por conta da pandemia da Covid-19.

Além do abandono, moradores da região e ex alunos estão preocupados que o prédio seja invadido por usuários de drogas. O prédio é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC).

“É muito triste presenciar esse abandono em um prédio que tem uma história tão bonita na educação do nosso estado. Era tão lindo ver os alunos uniformizados e andando de um lado para o outro. Tudo isso acabou. Com a pandemia, a situação ficou pior ainda. Os prédios estão depredados e pichados. As grades enferrujadas e o lixo se espalhando. A história mais uma vez está sendo jogada no lixo”, reclama a aposentada Alina Pacheco Alves, de 67 anos, 45 deles morando em um prédio próximo ao colégio.

Ex alunos do Instituto de Educação, os irmãos Marcos Aguiar e Janaína Aguiar lamentam que a escola onde estudaram esteja nessa situação.

“A gente até pensei em juntar um grupo de ex alunos e fazer a limpeza, mas esbarramos nessa pandemia. Infelizmente o coração sente esse abandono. Passamos nossa juventude aqui nesse colégio. Aqui, além da educação, aprendemos a ser seres humanos melhores. Como ex alunos, precisamos fazer alguma coisa, não deixar do jeito que está”, desabafa a ex aluna Janaína Aguiar.

O QUE DIZ O GOVERNO

Por meio de nota, a Faetec informou que engenheiros da instituição estiveram no local para verificar as condições da unidade e providenciar os reparos emergenciais.

"Já está previsto um projeto de reforma para as instalações no campus, incluindo o prédio principal (tombado pelo Inepac) e o prédio anexo. Na próxima semana, o novo presidente da Faetec João Carrilho visitará o local para alinhar os detalhes do projeto. Paralelo a isso, será dado andamento ao processo de licitação para a contratação de empresas para manutenção e limpeza das escolas".