Movimentação no Saara na tarde desta quarta-feira (17)  para as compras de Natal. - Daniel Castelo Branco
Movimentação no Saara na tarde desta quarta-feira (17) para as compras de Natal.Daniel Castelo Branco
Por Aline Cavalcante
Rio - Faltando pouco mais de uma semana para o Natal, a movimentação na região da Saara nesta quinta-feira é grande, apesar de ainda ser menor que no ano passado, nesta época. Segundo o presidente do Centro Comercial Saara, Eduardo Blumberg, as vendas estão 7% abaixo dos números registrados 2019.

"Nossa luta é para vendermos ao menos o mesmo que no ano passado. Estamos correndo atrás, muitos lojistas investiram na venda online, redes sociais, além da venda presencial. Mas queremos ao menos empatar com o ano passado".


Em algumas lojas, a baixa nas vendas em relação ao ano passado chega a 30%.

"Trabalho há mais de 20 anos com o comércio e nunca vi um fim de ano tão fraco assim. Esperamos que com a proximidade do Natal as vendas aumentem", diz Claudia Guerra, 52, supervisora de uma loja de roupas femininas.

Para atrair o cliente, alguns apostam nas promoções e brindes. "A gente faz promoções, faz sorteios de vale-compras e até vira modelo, exibindo os looks da loja", conta Sheila Ricchezza, 43, locutora de uma loja plus size.

Para Blumberg, as vendas e a movimentação de pessoas devem aumentar nos próximos dias. "Acho que vai ficar para última hora as compras, até porque muita gente vai receber a segunda parcela do 13º. Nesta última semana acredito que as vendas vão crescer bastante e a gente vai conseguir recuperar".

Cuidados e estratégias para fugir da aglomeração

Mesmo com a movimentação intensa, as pessoas estão tomando cuidados no que diz respeito ao uso de máscara e álcool em gel.

Para evitar a aglomeração, Marcia Cristina Costa, 48, moradora de Inhauma, fez um roteiro das lojas que iria antes de sair casa.  "Viemos nas lojas certas para evitar andar muito. Estamos fugindo da aglomeração".

Outra estratégia de quem foi às compras, é antecipar a ida às lojas. "Antecipamos as compras para enfrentar menos tumulto. Procuramos não vir no fim de semana e em um horário menos movimentado", conta Renata Lemelle, 53.

"Comprei algumas coisas semana passada e hoje comprei o que faltava e não volto mais porque sei que a tendência é ficar mais cheio nos próximos dias", afirma a estudante Victória Filgueiras, 24.

A estudante Alexandra Lemelle, 19, disse que não se descuida. "Estou sempre de máscara e carrego meu álcool em gel comigo".