Prefeitura derruba estruturas de casas e pequenos prédios em área de proteção ambiental de Guaratiba - Divulgação / Secretaria Municipal de Meio Ambiente
Prefeitura derruba estruturas de casas e pequenos prédios em área de proteção ambiental de GuaratibaDivulgação / Secretaria Municipal de Meio Ambiente
Por O Dia
Rio - A prefeitura do Rio, por meio da Coordenadoria de Fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, derrubou, na manhã desta quarta-feira, sete estruturas que seriam casas e prédios na área de proteção ambiental da Serra da Capoeira Grande, em Guaratiba, na Zona Oeste. De acordo com a pasta, na região há forte tentativa de expansão urbana na região para áreas de mangues, o que configura crime ambiental. 
A operação contou com apoio da Guarda Municipal, Comlurb, Polícia Militar Ambiental e da Secretaria de Conservação da Prefeitura. Foram mobilizados 40 agentes, em dez viaturas.

Segundo a pasta, os responsáveis haviam sido notificados em outubro passado, e devem apresentar plano de recuperação ambiental para diminuir o dano. Ninguém foi encontrado no local. O coronel José Maurício Padrone, novo coordenador de Fiscalização Ambiental do Meio Ambiente da Cidade, vai intensificar as ações de combate às infrações ambientais que surgem com a expansão urbana a áreas de preservação permanente. 

Durante a ação, o secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, afirmou estar alarmado com os dados sobre a insustentável marcha para a Zona Oeste.

"Vamos atuar com rigor para combater as infrações ambientais, sempre com apoio de outros órgãos. Um recado importante que queremos dar é: não dá mais para aceitar o 'liberou geral' em áreas extremamente frágeis do ponto de vista ambiental. A região de Guaratiba tem um importante manguezal e espécies ameaçadas, e a derrubada desse ecossistema configura grave crime ambiental", destacou.

A Área de Proteção Ambiental da Serra da Capoeira tem área total de 80 hectares e é um dos últimos remanescentes florestais com pau-brasil no município.