Grande Rio registrou uma média de 13 tiros por dia - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Grande Rio registrou uma média de 13 tiros por diaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia
Por O Dia
Rio - Um levantamento realizado pela plataforma Fogo Cruzado mostrou que, em 2020, o Grande Rio registrou o menor índice de tiroteios desde julho de 2016: "apenas" 13 por dia. Em comparação com 2018, ano da intervenção federal, a média era o dobro.
Apesar da redução em comparação com outros anos, os números não deixaram de chamar atenção e os tiroteios continuaram acontecendo. No início da pandemia do coronavírus, muita gente perdeu emprego e seus pequenos negócios. No Rio, moradores se mobilizaram para se ajudar. E quando voluntários foram entregar doações de comida e produtos de limpeza, eles foram mortos.

Leandro Rodrigues da Matta tomou um tiro de fuzil logo depois de entregar uma cesta básica na casa de um amigo, em Cordovil, na Zona Norte. Um PM assumiu que atirou no corretor de imóveis porque ele "era bandido". Além desse caso, outras 7 ações sociais foram interrompidas a tiros, como as organizadas pelo Voz das Comunidades, no Alemão, e pelo Rio de Paz, no Jacarezinho. Ao todo, 5 pessoas morreram e 2 ficaram feridas.
Publicidade
Quando chegou maio, mais tragédia. Durante uma operação conjunta das polícias Federal e Civil, em São Gonçalo, o adolescente João Pedro foi morto a tiros em casa. No dia 5 de junho, quase 3 meses após o início da quarentena, o Supremo Tribunal Federal suspendeu operações policiais em favelas do Rio de Janeiro durante a pandemia - salvo em motivos excepcionais e previamente comunicados por escrito.

A medida - inédita - derrubou o número de mortos em operações, tanto de civis quanto de militares. Houve quase 57% menos mortos pela polícia entre junho e novembro, de acordo com os últimos dados disponíveis no Instituto de Segurança Pública do Rio. As mortes em geral caíram 16%. E os dados do Fogo Cruzado apontaram que o número de agentes mortos em serviço diminuiu 28% em 2020, quando comparado a 2019. Mas ainda segue alto no geral: 142 agentes foram baleados - 54 deles morreram.