Herdeiras alegam que a culpa foi de agentes das Forças Armadas - Divulgação
Herdeiras alegam que a culpa foi de agentes das Forças ArmadasDivulgação
Por O Dia
Rio - A Justiça Federal determinou, nesta segunda-feira, que a União indenize a família de Raimunda Claudia Rocha Silva, de 47 anos, morta no Complexo da Maré, Zona Norte da cidade, após ser atingida por um tiro durante uma operação das Forças Armadas. De acordo com a decisão, deverá ser pago um valor de R$250 mil para as herdeiras da vítima, além de tratamento psiquiátrico, psicológico e as despesas pelo funeral.
As filhas responsabilizam as Forças Armadas pela morte da mãe. Na época, a Justiça disse que seria necessário um exame de confronto balístico, porém não foi possível, já que nenhuma arma foi apreendida no dia do confronto. No entanto, a Justiça alega que os militares que estiveram na ação assumiram o risco.
Publicidade
"Não foram apreendidas armas, impossibilitando a realização de confronto balístico, não havia câmeras de segurança instaladas nas proximidades do fato e não foram localizadas testemunhas civis que presenciaram o confronto. Portanto, a ausência de coleta de provas eficientes no local dos fatos inviabilizou a definição da autoria do disparo que vitimou a senhora Raimunda", dizia um trecho de um inquérito da Polícia Militar feito na época. 
 
Publicidade