BRT e os seus problemas - Daniel Castelo Branco / Agência O DIA
BRT e os seus problemasDaniel Castelo Branco / Agência O DIA
Por O Dia
Rio - Nesta terça-feira (02/02), a Rio Ônibus emitiu nota reforçando preocupação com a utilização reduzida das frotas de onibus na cidade. A entidade acrescentou que a maior parte dos veículos estão avariados, envelhecidos, vandalizados, sem combustível, e que, para enfrentar a crise, o diálogo entre prefeitura e empresas do setor é fundamental.

No dia 21 de janeiro, o consórcio, responsável pelo BRT, enviou um ofício à Secretaria Municipal de Transportes alertando sobre a incapacidade de promover a circulação completas das frotas, em função da falta de recursos financeiros. De acordo com a Rio Ônibus, durante quatro anos foram enviados alertas, sem retorno, à prefeitura do Rio sobre os riscos de colapso do sistema público de transporte.

A relação entre consórcio e prefeitura ficaram tensas após paralisação, nesta segunda-feira (01/02), do BRT, com acusações, por parte do prefeito, de envolvimento de empresários dos transportes na greve. A entidade mencionou já haver tratativas em busca de recuperar estações do sistema, bem como a redistribuição das linhas alimentadoras, desde o período de transição da nova prefeitura.

A Rio Ônibus reforçou que mesmo diante do colapso econômico-financeiro, vem procurando saídas para melhorar a rotina dos passageiros em seus deslocamentos. O consórcio defende o reforço da fiscalização sobre vans clandestinas, planos de readequação da frota, revisão de trajetos de linhas, bem como mudança no valor das tarifas, podem auxiliar na recuperação do setor.

Equipes técnicas dos consórcios de ônibus e da Secretaria Municipal de Transportes estão em fase de alinhamento para promover o desenvolvimento de medidas emergenciais e de reestruturação do sistema.