Matheus Calainho Cyranka
 - Reprodução
Matheus Calainho Cyranka Reprodução
Por O Dia
Rio - A Justiça do Rio de Janeiro concedeu, nesta segunda-feira, liberdade provisória a Matheus Calainho Cyranka, suspeito de se passar por massagista e esteticista para abusar de blogueiras. De acordo com a Polícia Civil, o criminoso se dizia homossexual para cometer violação sexual. Ele já teria abusado de pelo menos sete mulheres. 
A juíza Simone Rolim, da 29ª Vara Criminal, entendeu não haver necessidade de manter a prisão de Matheus, já que o acusado comprovou residência fixa e contra ele não há condenação por outro crime com sentença penal transitada em julgado.
Publicidade
"Toda decisão constritiva do direito de ir e vir do indivíduo deve estar fundamentada em elementos concretos que demonstrem, efetivamente, a presença dos requisitos autorizadores da custódia cautelar", dizia um trecho da decisão.
No documento, a juíza cita ainda que Matheus está proibido de sair do Rio de Janeiro sem avisar a Justiça e que ele terá que comparecer a 29ª Vara Criminal a cada 30 dias, além de não poder usar de nenhuma rede social enquanto perdurar a ação penal. Caso descumpra a ordem, o homem poderá voltar para a prisão.
Publicidade
Entenda o caso
De acordo com as investigações, Matheus se passava por massagista e esteticista. Ele procurava influenciadoras digitais em redes sociais e propunha parcerias, oferecendo seus serviços em troca de divulgação do trabalho nos perfis das vítimas. Para se aproximar e fazer com que as influencers não desconfiassem de suas verdadeiras intenções, Matheus dizia que era homossexual.
Publicidade
Segundo a Polícia Civil, ele marcava com as vítimas de ir realizar o serviço na casa delas e durante as supostas sessões de tratamento, se aproveitava para cometer os abusos sexuais.
"Ele pratica esse crime há cerca de um ano e atendia em domicílio. Ele disse que nunca tinha feito nenhum curso de massoterapeuta ou algo do tipo, que só via tutorial no youtube", explicou a delegada Ana Carolina Medeiros Caldas.
Publicidade
Matheus é investigado em sete inquéritos policiais na Delegacia da Barra da Tijuca. As vítimas começaram a registrar o caso, depois que uma influencer da região postou seu caso no Instagram, há cerca de um mês, segundo a delegada.
Na ocasião, a influenciadora compartilhou em seus stories no Instagram que uma empresa de estética havia entrado em contato com ela pelo direct, oferecendo uma proposta de permuta. Na mensagem, a pessoa dizia que era homem mas que era gay.
Publicidade
"Ele me mandou mensagem e falou "eu sou homem mas sou gay, isso realmente é uma coisa que eu sofro muito no meu trabalho, mas se você se incomodar, ver algum problema, só falar que a gente não faz". Eu jamais deixaria de fazer por isso. Até me senti mal, porque quando ele falou eu até cogitei, porque a gente como mulher tem nossas inseguranças, mas falei que não tinha problema e ele veio aqui em casa", descreveu ela.
A vítima também narrou em seu perfil como tudo aconteceu. "Eu comecei a achar um pouco estranho, ele estava fazendo a massagem, eis que eu olho pelo espelho e ele estava se masturbando enquanto ele fazia a massagem em mim. Quando vi a situação, tive uma reação ativa, Graças a Deus, parti para cima dele e expulsei ele de casa. Foi uma situação muito ruim", contou, muito emocionada.
Publicidade
Matheus foi encontrado em casa, no Recreio dos Bandeirantes e contra ele, foi cumprido um mandado de prisão preventiva por violação sexual mediante fraude. Ao ser preso, ele negou as acusações e ao chegar na delegacia se reservou ao direito de ficar em silêncio, segundo a delegada.