Primeiro dia de vacinação na Casa Firjan, em Botafogo. Na foto, o senhor,Luiz Gonzaga Barreto.
Primeiro dia de vacinação na Casa Firjan, em Botafogo. Na foto, o senhor,Luiz Gonzaga Barreto.Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Por Yuri Eiras
Rio - A cidade do Rio de Janeiro entra na sexta semana de imunização com cerca de 6% da população vacinada com pelo menos a primeira dose, o que corresponde a pouco mais de 406 mil pessoas. Até agora, profissionais da saúde e idosos de 77 anos ou mais puderam receber a vacina. A prefeitura, agora, aguarda a chegada de novas remessas para seguir o calendário do município e não precisar interromper a vacinação. Se as doses programadas pelo Ministério da Saúde chegarem ao Rio, todos os idosos de 67 anos ou mais já terão se vacinado até o fim de março. Caso contrário, a saída será interromper, como foi feito durante parte de fevereiro.
A expectativa é receber novas remessas do Instituto Butantan entre terça (9) e quarta-feira (10). "Se a gente receber todas as doses, não haverá necessidade (de interrupção)", garantiu o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, em entrevista nesta segunda-feira, na Casa Firjan, em Botafogo. O espaço se tornou mais um ponto de vacinação na Zona Sul carioca e deve receber seis mil pessoas nos próximos meses.
Publicidade
Sem essas novas remessas, o estoque do município durará até idosos com 76 anos, marcados para a próxima quarta-feira. Além desses, há uma reserva para quem já se vacinou: as segundas doses estão garantidas, independentemente da chegada de novos lotes.
Medidas restritivas: consequência a longo prazo
Publicidade
As medidas adotadas no município partir da última sexta-feira, como o fechamento de comércios na orla e a restrição no funcionamento de bares e restaurantes, deverão ter consequência daqui a algumas semanas na taxa de ocupação de leitos e nos números de casos graves e óbitos. Os decretos podem ser prorrogados, caso a secretaria assim avalie.
"Nossa expectativa, como acontece em todos os lugares, é a gente observar que o aumento das medidas restritivas cause uma diminuição nas internações, posteriormente nos casos graves e nos óbitos", comentou Soranz.
Publicidade
Casarão da Firjan em Botafogo vira ponto de vacinação
A Firjan, em parceria com o Centro Municipal Dom Hélder Câmara, se tornou mais um ponto de vacinação na Zona Sul carioca. O casarão da federação das indústrias, localizado na Rua Dona Mariana, em Botafogo, deve receber cerca de seis mil pessoas nos próximos meses. A primeira delas foi o aposentado Luiz Gonzaga Barreto, de 77 anos, o primeiro na fila para se vacinar nesta segunda-feira. Ele foi acompanhado do neto Michel.
Publicidade
A Casa Firjan, em Botafogo, começou a receber os primeiros idosos de 77 anos ainda antes das 7h - Estefan Radovicz / Agência O Dia
A Casa Firjan, em Botafogo, começou a receber os primeiros idosos de 77 anos ainda antes das 7hEstefan Radovicz / Agência O Dia
"Estava ansioso, clamando por essa vacinação. Estou há nove meses sem cortar o cabelo e fazer a barba porque não podia sair", disse Barreto, que voltará em 28 dias para a segunda dose.