Rio - 18/03/2020 - Comando Militar do Leste. Foto: Daniel Castelo Branco / Agencia O DIA
Rio - 18/03/2020 - Comando Militar do Leste. Foto: Daniel Castelo Branco / Agencia O DIADaniel Castelo Branco / Agencia O Dia
Por Yuri Eiras
Rio - O Ministério da Defesa recebeu um pedido da Prefeitura do Rio para que parte do contingente das Forças Armadas ajude na campanha de vacinação contra a Covid-19 na capital. As duas partes alinham a estratégia, e segundo o ministério, o Comando Conjunto Leste "já iniciou a coordenação para viabilizar o apoio".
As Forças Armadas já reforçam a linha de frente da imunização em outros estados. No Rio Grande do Sul, militares do Exército auxiliam na aplicação da vacina. Existe a possibilidade de que, no Rio, além da aplicação das doses, quartéis também sejam utilizados como postos de vacinação, assim como acontece com os quartéis do Corpo de Bombeiros no Humaitá, Copacabana, Vila Isabel e Barra da Tijuca.
Publicidade
As Forças Armadas também têm participado da entrega de vacinas em locais de difícil acesso, como comunidades indígenas. Segundo o Ministério da Defesa, "até 26 de março, mais de 160 mil doses foram aplicadas com o apoio das Forças Armadas".
O reforço militar na aplicação das vacinas pode acelerar a campanha de vacinação. A intenção da prefeitura é que, caso não haja nenhum problema no recebimento de novas remessas, todos os idosos com 60 anos ou mais já estejam imunizados até o fim de abril. Nesta segunda-feira (29), idosos com 71 anos são os vacinados - mulheres na parte da manhã, homens à tarde. Na apresentação do último boletim epidemiológico, na sexta-feira, o prefeito Eduardo Paes falou sobre a possível ajuda do comando militar.
Publicidade
"Vou fazer contato com o ministro da Defesa para ter as Forças Armadas disponibilizando ajuda, para que a gente aplique mais vacinas em mais locais. A vacina está começando a acelerar. Estamos no dia 26 de março. Pode ser que em menos de um mês, o tal do IFA (ingrediente farmacêutico para produzir o imunizante) chegando, em menos de 30 dias estaremos com todo mundo com mais de 60 anos vacinados. Estou especulando, ainda não há calendário, mas pode ser que até meados de abril a gente tenha todo mundo na faixa de maior risco vacinado", afirmou Paes.
Em nota, o Ministério da Defesa afirmou que "há mais de um ano, em estreita coordenação com o Ministério da Saúde e com os governos estaduais e municipais", "vem trabalhando para assegurar o mais rápido e adequado apoio às necessidades identificadas pelas autoridades sanitárias. O MD ressalta que as Forças Armadas permanecem prontas para prestar apoio, caso necessário, e atender todas as demandas apresentadas, no limite de suas capacidades".