Publicidade
Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos

Justiça decreta prisão preventiva de síndica síndica e amante suspeitos da morte de empresário

Os dois são suspeitos de envolvimento na morte do empresário Carlos Eduardo Amorim Montechiari, de 56

Síndica e o supervisor do condomínio, apontado como seu amante, teriam planejado o crime
Síndica e o supervisor do condomínio, apontado como seu amante, teriam planejado o crimeReprodução / TV Globo
Por O Dia
Rio - A Justiça do Rio decretou a prisão preventiva da síndica Priscilla Laranjeira Nunes de Oliveira, de 44 anos, e do ex-paraqueditas Leonardo Fomes de Lima, de 35. Os dois são suspeitos de envolvimento na morte do empresário Carlos Eduardo Amorim Montechiari, de 56.

A decisão é da juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da Capital, e atende uma representação feita pelo delegado Renato de Carvalho, da 27ªDP, (Vicente de Carvalho), e também um pedido do Ministério Público, que denunciou o casal por homicídio qualificado.

Carlos Eduardo foi baleado e morto em 1º de fevereiro, segundo a polícia, por Leonardo Gomes, que é casado e mantinha um relacionamento extraconjugal com Priscilla. A vítima era opositor da síndica e também ex-síndico do condomínio de luxo London Green Park, localizado na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

O casal está preso desde o dia 16 de março, devido a um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. O prazo de validade da ordem judicial acabaria nesta quarta-feira (14).

Relembre do caso
A morte dele teria acontecido quatro dias antes uma reunião marcada com moradores do condomínio, onde ele apresentaria um dossiê com provas de que a síndica Priscilla Laranjeiras estaria agindo de forma ilegal na gestão do condomínio.
O amante de Priscilla, Leonardo Gomes, confessou a polícia que teria atirado em Carlos Eduardo a mando de Priscilla. A defesa da síndica nega o envolvimento dela no assassinato. Os estão presos temporariamente desde o dia 16 de março.
Você pode gostar
Comentários
mais notícias
Justiça decreta prisão preventiva de síndica síndica e amante suspeitos da morte de empresário | Rio de Janeiro | O DIA
Publicidade
Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos

Justiça decreta prisão preventiva de síndica síndica e amante suspeitos da morte de empresário

Os dois são suspeitos de envolvimento na morte do empresário Carlos Eduardo Amorim Montechiari, de 56

Síndica e o supervisor do condomínio, apontado como seu amante, teriam planejado o crime
Síndica e o supervisor do condomínio, apontado como seu amante, teriam planejado o crimeReprodução / TV Globo
Por O Dia
Rio - A Justiça do Rio decretou a prisão preventiva da síndica Priscilla Laranjeira Nunes de Oliveira, de 44 anos, e do ex-paraqueditas Leonardo Fomes de Lima, de 35. Os dois são suspeitos de envolvimento na morte do empresário Carlos Eduardo Amorim Montechiari, de 56.

A decisão é da juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da Capital, e atende uma representação feita pelo delegado Renato de Carvalho, da 27ªDP, (Vicente de Carvalho), e também um pedido do Ministério Público, que denunciou o casal por homicídio qualificado.

Carlos Eduardo foi baleado e morto em 1º de fevereiro, segundo a polícia, por Leonardo Gomes, que é casado e mantinha um relacionamento extraconjugal com Priscilla. A vítima era opositor da síndica e também ex-síndico do condomínio de luxo London Green Park, localizado na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

O casal está preso desde o dia 16 de março, devido a um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. O prazo de validade da ordem judicial acabaria nesta quarta-feira (14).

Relembre do caso
A morte dele teria acontecido quatro dias antes uma reunião marcada com moradores do condomínio, onde ele apresentaria um dossiê com provas de que a síndica Priscilla Laranjeiras estaria agindo de forma ilegal na gestão do condomínio.
O amante de Priscilla, Leonardo Gomes, confessou a polícia que teria atirado em Carlos Eduardo a mando de Priscilla. A defesa da síndica nega o envolvimento dela no assassinato. Os estão presos temporariamente desde o dia 16 de março.
Você pode gostar
Comentários
mais notícias