Sindicato pede volta às aulas somente após a vacinação em massa
Sindicato pede volta às aulas somente após a vacinação em massaReprodução
Por O Dia
Rio - O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio (Sepe) realiza, nesta quinta-feira (6), um ato em frente à prefeitura do Rio, na Cidade Nova, no Centro da cidade. A manifestação acontece a partir das 11h e será transmitida pelas redes sociais do Sepe.
De acordo com a coordenadora geral do Sindicato, Isabel Costa, o movimento acontece em defesa da vida, contra o retorno às aulas presenciais e a favor da vacinação para toda a população, além de profissionais de educação.
Publicidade
“As escolas da rede municipal estão retornando em quase toda a sua capacidade. Muitas delas, com sérios problemas no protocolo, como a ventilação e a falta de funcionários suficientes para fazer a limpeza”, explicou a coordenadora. Ainda de acordo com o Sindicato, as condições de retorno expõem os profissionais à doença.
“Nossa luta é para que a gente retorne após o processo de vacinação. Nós temos toda a atenção e preocupação com a educação, mas defender a vida é um direito básico. A morte do ator Paulo Gustavo nos deixa muito clara a gravidade dessa doença. Então, nós temos todo o direito de continuar lutando para que voltemos em segurança e com saúde”, afirmou Isabel.
Publicidade
A coordenadora ressalta que o Sindicato se reuniu com o secretário Municipal de Educação, Renan Ferreirinha, na última sexta-feira (30), mas espera um novo encontro nesta semana. Segundo ela, uma das reivindicações é reconhecer a covid-19 como acidente de trabalho.
“Essa é uma batalha ocorrendo a nível nacional, porque o setor privado e o setor público resistem em reconhecer covid como acidente de trabalho. Para nós, não há dúvida, porque esses profissionais, enquanto estiveram protegidos, não contraíram covid, mas após o retorno às unidades escolares, porque ficam expostos à contaminação durante o deslocamento e dentro das unidades. Infelizmente, as denúncias chegam aos montes”.
Publicidade
Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que só estão abertas ao ensino presencial escolas aptas a receber os estudantes. “Após muito diálogo, a SME conseguiu incluir profissionais da Educação na lista de prioridade de vacinação contra a covid. Foram imunizados milhares de profissionais, dos que prestam serviços gerais aos que dão aulas todos os dias”, diz o texto.
Ainda segundo a SME, recentemente, todas as unidades escolares receberam verbas para fazer ajustes e pequenos reparos. Ao todo, foram distribuídos R$18,1 milhões.
Publicidade
“As unidades escolares funcionam com um rigoroso protocolo sanitário, aprovado pelo Conselho Especial de Enfrentamento à Covid. O documento determina distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, uso obrigatório de máscaras e, entre outros, instalação de dispensadores de álcool 70° em gel.”
Por fim, a pasta ressaltou que recebeu e distribuiu 800 mil máscaras descartáveis.
Publicidade
“Recentemente, foram adquiridas 336 mil máscaras PFF2. Cada profissional da Educação, de merendeira a professor, irá receber 5 máscaras deste modelo, que é considerado por especialistas como um dos mais eficientes na proteção individual”, conclui a nota.