As declarações e tuítes de Bolsonaro

Por

Meus parabéns aos 57 milhões de eleitores brasileiros que votaram num 'comentarista de portal' para presidente. Sobre isso, diria, se vivo fosse, o escritor Lima Barreto: "o Brasil não tem povo, tem público".

Neila Domingos

Via Facebook

Menos

médicos

O presidente eleito Jair Bolsonaro não decidiu acabar com o programa 'Mais Médicos'. Ele apenas, com o total apoio do eleitorado, que pensa da mesma forma, decidiu que os médicos cubanos que atuam nesse programa façam o exame de revalidação de seus diplomas. E que seja permitido aos que permanecerem no programa trazer suas famílias, o que hoje é proibido por Cuba. Nada mais justo e correto.

Ronaldo Gomes Ferraz

Barra da Tijuca

Para quem só é atendido em Sírio Libanês ou em hospitais de ponta, pagos com o dinheiro dos nossos impostos, realmente os cubanos não vão fazer diferença.

Erika Ludmila

Pelo Facebook

Interrogatório do

ex-presidente Lula

Para interrogar o Lula, os juízes deveriam ser obrigados a usar o detetor de mentiras. Caso contrário, não haverá nenhuma resposta com fidedignidade. Há vários vídeos de diversos pronunciamentos deste senhor em que ele mesmo se contradiz. Chega de retórica.

Egberto Silva Filho

Niterói

Uma mão

lava a outra

O toma lá dá cá entre o Executivo e Legislativo é característica vergonhosa da política no Brasil. A prática também existe entre o Judiciário e Legislativo. O STF não julga políticos poderosos e não cassa mandatos. Em compensação, o Senado não vota os pedidos de impeachment de ministros do Tribunal. Agora mesmo, Dias Toffoli e Luiz Fux estão barganhando de forma imoral o aumento dos seus pares com Michel Temer. O presidente autoriza o aumento de salário dos ministros e eles prometem acabar com o auxílio moradia dos magistrados que os recebem de forma indevida. Para eles, crise não existe.

Arnaldo dos Santos Silva Jr.

Recreio dos Bandeirantes

Comentários