O cheiro do abandono

Moradores das ruas São Carlos e São Roberto, no morro do São Carlos, sofrem com esgoto a céu aberto

Por O Dia

Esgoto a céu aberto no Morro do São Carlos
Esgoto a céu aberto no Morro do São Carlos -

Imagine você abrir a porta de casa todos os dias para trabalhar, levar o filho na escola, comprar um pão, e dar de cara com esgoto a céu aberto tomando conta de tudo? Essa é a realidade dos moradores da rua São Carlos e da São Roberto, no morro do São Carlos, há três meses.
A CEDAE chegou a ir até o local, mas, segundo os moradores, não resolveu e nunca mais voltou.
“A gente não consegue ficar nem de porta aberta porque o cheiro é terrível. Na hora de comer a gente até perde a fome”, conta uma moradora que não quer se identificar, pois mora na comunidade dominada pelo tráfico de drogas.
Já não basta tudo que os moradores sofrem nos morros cariocas? Tudo é pela metade, isso quando existe!
O acúmulo de lixo pelas ruas também chama atenção. Não há educação, nem coleta diária.
O pior para os moradores, além de conviver com o cocô na cara, é o medo de doenças. Querendo ou não, as crianças acabam tendo contato com essa água, e quando chove fica ainda pior, já que o cheiro da água invade as casas, conta um outro morador da região.
A coluna procurou a CEDAE que informou que técnicos irão ao local em até 24 horas. A concessionária afirmou que não há esgoto vazando há três meses, mas infelizmente, a má utilização frequente da rede causa obstruções e vazamentos no sistema de esgotamento.
3,2,1... É DEDO NA CARA!

PINGO NO I

Uma das coisas mais falidas que se pode ter nesse país, entre tantas coisas, é a ressocialização de menores.
Aqui no Rio, um estudo da Universidade Federal Fluminense com o DEGASE apontou que 90% dos jovens que estão nas unidades são reincidentes, ou seja, voltaram a cometer crimes.
E nada é feito para mudar essa realidade. As unidades superlotadas são depósito de menores. A última tentativa de fazer alguma coisa foi mais que um tiro no pé.
O STF decidiu mandar soltar jovens com menor potencial ofensivo, mas entre eles, alguns já tinham passagem por latrocínio e homicídio.
Resultado? Um risco para eles e para a sociedade. Dos 618 soltos até agora, cinco já foram mortos em confronto com a polícia.
Bora colocar o pingo no I...
Ressocialização vem com dignidade, educação e assistência. O resto é só pra falar que tá fazendo alguma coisa.

TÁ BONITO!

Já pensou em transformar uma brincadeira de criança em algo tecnológico, em prol das comunidades do Rio? É o que o Voz das Comunidades vai fazer amanhã no teleférico do morro do Adeus, a partir das 17 horas.
O “Pipas pela Paz” promete juntar mil pessoas para soltarem pipas brancas com LEDs, um símbolo de criatividade da comunidade que reforça o pedido do fim da violência.
Você pode até pensar “Ah, como se uma atitude dessas fosse resolver algum problema das favelas”... Mas mobilizações são importantes para que o povo periférico tenha ainda mais voz, não só no Rio de Janeiro, mas em todo o Brasil.
Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito, toda ação por paz vale a pena que a gente sempre consiga voos mais altos. E tenho dito!

Comentários