Ciência Brazuca

Muito se fala em vacina de Oxford, a tal vacina russa, mas pouco se olha para o quintal de casa

Por O Dia

Ana Carolina trabalha oito horas por dia, cinco dias da semana em nome da ciência
Ana Carolina trabalha oito horas por dia, cinco dias da semana em nome da ciência -

O nome dela foi parar na Reuters e até no The New York Times... Ana Carolina Xavier, 33 anos, é fisioterapeuta intensivista... Tá na linha de frente contra a covid-19 desde o início, em campo!

Carol tem três projetos em desenvolvimento sobre tratamento do coronavírus... Todos até o momento, infelizmente, na gaveta. Só um dos projetos está em andamento num centro de pesquisa particular. Os outros, estão sendo "cozinhados" pelo governo. "Ah, mas o que isso quer dizer, Isabele?"

Simples... Falta de incentivo e a já tão falada burocracia de sempre! Num momento em que mais se precisa da ciência no país, o pesquisador que merece ser enaltecido, só é desvalorizado.

Muito se fala em vacina de Oxford, a tal vacina russa, mas pouco se olha para o quintal de casa. A gente tem cada cientista incrível por aqui, esperando para ser notado e nada!

Aqui, todo mundo valoriza o que é de fora, bora valorizar o que é nosso. Parem com síndrome de vira-lata!

Duas brasileiras descobriram o genoma do vírus, alunos da UFRJ seguem na luta para desenvolver respiradores, a USP já testa em animais uma vacina em spray... Olha quanta coisa importante tá sendo feita e os poderosos fecham os olhos?

Ana Carolina trabalha oito horas por dia, cinco dias da semana em nome da ciência e recebe o que? Corte, redução, sucateamento das suas teses. Tudo vai além da falta de incentivo financeira.

"Quem vive só de Ciência não pode ter o governo como inimigo. A gente quer ter como aliado! Seis meses pra aprovar um projeto é muito tempo. Um mês que seja faz toda diferença, ainda mais agora", conta ela.

Ninguém existe sem Ciência, essa é a realidade. Uma pena que todo mundo teve que enfrentar uma pandemia para entender isso, você goste ou não.

Reconhecer e valorizar o trabalho do pesquisador é mais que um ato de cidadania... É ato de amor às gerações que estão vindo por aí.

 

PINGO NO I

Com a decisão do STJ de manter o afastamento de Wilson Witzel, agora Cláudio Castro deve começar a colocar sua cara no governo. E a gente sabe como tudo isso acontece...

Pra conseguir o mínimo de uma base na Alerj, coisa que Witzel não conseguiu, o governador em exercício tem que negociar cargos, leia-se, secretariados. Ou seja, vem dança das cadeiras nos próximos dias!

Mas quem disse que o desafio para por aí? Bora colocar o Pingo no I...

Cláudio tem outro obstáculo em paralelo. A sombra também de um possível afastamento.

TÁ PUXADO!

Todo dia tem uma mensagem desse tipo... "Isabele, já percebeu como tudo no mercado está caro?" É complicado... Em plena pandemia, um monte de trabalhador com salário reduzido, tendo que encarar o preço do arroz e do feijão nas alturas.

A verdade é que o povo tá pagando pra receber o auxílio emergencial, já que de uma forma ou de outra, esse dinheiro vai voltar pros cofres públicos. "Aumenta o valor da comida pra pagar o imposto aí!" Bem assim.

Pobre do povo que ainda tem que engolir um aumento sem vergonha de R$ 22 no salário mínimo...

E ainda tem a nota de R$ 200! Falsa ilusão daqueles que acham que vão ficar com muito dinheiro, né? Ah, pelo menos o salário vai caber na carteira. Só rindo pra não chorar!

Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito.... Tira essa corda do pescoço da galera, e tenho dito.

Comentários