Independência é só no feriado de 7 de setembro

Na realidade, as coisas continuam iguais há decadas

Por Isabele Benito

O dia pode até ser da independência, mas todo mundo tá cansado de saber que a realidade por aqui é beeem diferente. 

Nenhum cidadão é livre para ser o que escolheu na vida!

“Claro que sou livre, Isabele! Sou independente, tenho a minha vida.”

Ah, é? Que bom! Mas então me responda: Por que algumas pessoas se preocupam tanto com a vida das outras?

No nosso país, infelizmente, a gente é obrigado a conviver com o que há de pior: o preconceito, a falta de educação e de individualidade. 
Muitos que vão ler esta coluna, com certeza vão dizer: “Ah, lá vem ela com lacração".

Nada disso... É papo reto!

Você já sentiu na pele alguma situação de racismo, homofobia ou machismo? Caso a resposta seja não, pode se considerar um privilegiado.

Hoje em dia, até pensar diferente de alguém politicamente te faz inimigo.
Nos últimos meses, vimos atitudes nojentas de racismo. Na nossa área, no Brasil “das leis”, foram os casos dos “Matheus” e agora do violoncelista Luiz Carlos, preso por engano numa blitz.

Esse é o espelho do que acontece todo dia na vida do pobre e favelado.

O Brasil é o país que mais mata LGBTS no mundo inteiro... Se eu for escrever todas as situações, vai faltar espaço.

Então, não me venha com esse papinho furado de que todo cidadão tem liberdade... Isso é conversa fiada!

Enquanto a gente não reconhecer pra melhorar, nada vai mudar. Independência é só no feriado mesmo... As coisas continuam iguais há décadas.

PINGO NO I

Não é novidade alguma toda essa instabilidade política nas esferas do Rio de Janeiro.
Mas é preciso refletir o tanto de problema que o povo vive nos últimos tempos, aliás, há anos! Tá tudo parado!

São governadores presos, afastados, operações que levam deputados para atrás das grades... E adivinha quem sempre fica no fundo do poço? O carioca!

E tem gente que ainda diz que a população que é culpada, por voltar mal... Peraí, o povo não é vilão, é vítima de toda sujeira que aparece com a corrupção.

Bora colocar o Pingo no I...

Políticos viraram peça de reposição. É hora de mudar o sistema que facilita as gangues da corrupção.

TÁ FEIO!

Intolerância: Marluci Valente tem sofrido preconceito por causa de sua religião - Arquivo pessoal
Marluci Britto Valente, moradora da Tijuca, é umbandista e pediu socorro por não aguentar mais ser humilhada por causa de sua religião.

Ela, que mora há quase 40 anos na mesma casa, vem há cinco sofrendo vários tipos de ataques da vizinhança. E agora com a pandemia a situação piorou, já que o centro espírita onde ela frequenta, está fechado. Marluci está tendo que fazer alguns rituais em casa.

Ninguém avisou pra esses vizinhos que intolerância religiosa é crime? Segundo ela, tudo é feito sem incomodar, dentro dos horários.

“Me dói muito... Eu não faço nada de mal a ninguém, só o bem. Mas eu vou continuar lutando para que isso acabe”, conta Marlu, que já realizou boletim de ocorrência.

É mais que sacanagem... É maldade atacar alguém dessa forma!

Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Respeito é bom, todo mundo gosta, e tenho dito!

Comentários