Jorge Pinto, morador de Nilópolis, tem 75 anos e corre há dez, quando decidiu abandonar o sedentarismo - Divulgação
Jorge Pinto, morador de Nilópolis, tem 75 anos e corre há dez, quando decidiu abandonar o sedentarismoDivulgação
Por O Dia

Rio - Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma pessoa já pode ser considerada idosa a partir dos 60 anos. Mas entrar nesta categoria não implica, necessariamente, viver uma rotina sedentária. Ao contrário, uma velhice ativa é a melhor forma de encarar a terceira idade. É o caso de Jorge Pinto, de 75 anos, que transformou a atividade física em estilo de vida e faturou o troféu de primeiro colocado na Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro.

Há dez anos, Jorge era sedentário, mas resoveu dar uma guinada na própria vida. E começou a treinar na Vila Olímpica de Nilópolis, cidade onde mora. Ele tomou gosto pelo esporte e passou a participar de competições. O resultado foi uma série de vitórias e uma coleção de medalhas e troféus. A última foi conquistada na categoria 42 km Masculino Faixa Etária 75-79.

"Depois que comecei a fazer exercícios, eu me senti muito melhor física e emocionalmente. Resolvi praticar corrida e, aos poucos, fui melhorando o desempenho. Quando cruzo a linha de chegada é uma realização muito grande", conta Jorge.

O atleta é atualmente o segundo melhor tempo em sua categoria em todo o Brasil. Para o bom desempenho, ele tem uma rotina bastante regrada. "Treino diariamente e mantenho uma boa alimentação. Procuro dormir bem e não deixo de ir médico periodicamente", conta. 

 

Você pode gostar
Comentários