A mosca gigante foi encontrada recentemente na Baixada Fluminense - Divulgação
A mosca gigante foi encontrada recentemente na Baixada FluminenseDivulgação
Por O Dia

Rio - Com o título de 'Baixada Verde', chancelado à Baixada Fluminense no ano passado, na área florestal preservada, equivalente a 10,96% da região cerca de um terço do estado  há um verdadeiro oásis. Algumas Áreas de Proteção Ambiental (APA), ainda pouco conhecidas, abrigam extensa diversidade da fauna e flora, inclusive espécies em extinção. E muitos desses locais estão com visitação aberta e gratuita. 

Em Duque de Caxias são quatro unidades de conservação de gestão municipal que abrigam a APA do Bairro São Bento, a Reserva Biológica do Parque Equitativa e os parques naturais municipais da Taquara e Caixa d'Água, com fauna e flora terrestre e marinha, algumas reconhecidamente em extinção, como a Jacutinga. As visitas podem ser feitas com auxílio de guias mediante agendamento junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, pelo telefone 2773-8493.

Queimados possui 11 unidades de conservação. Nestas regiões foi observada a presença da espécie arbórea conhecida vulgarmente como Gonçalo-Alves. Ela está entre as mais ameaçadas de extinção na Mata Atlântica. Já na fauna, a mosca polinizadora, conhecida como mosca gigante ou cavalo-do-cão, foi uma espécie descoberta recentemente na Baixada Fluminense. A única APA aberta para visitação na cidade é a Municipal Horto Luiz Gonzaga de Macedo, que funciona diariamente, inclusive nos finais de semana e feriados, de 8h às 18h.

Em Nova Iguaçu, a Reserva Biológica do Tinguá, uma área de proteção federal, tem mais de 24 mil hectares. Nela encontra-se o menor anfíbio do mundo, o sapo-pulga, e doze espécies em extinção como a onça parda, águia-cinzenta e o morcego vermelho. A visitação só é permitida com objetivos educacionais. O Plano de Manejo da Rebio do Tinguá estabelece os locais disponíveis para receber as pessoas e as normas associadas. Semanalmente a Rebio atende turmas escolares em sua sede, em Tinguá. As visitas são agendadas no www.rebiotingua.eco.br/visitacao.

Em Magé, há quatro áreas de proteção ambiental, mas apenas o Parque Natural Municipal Barão de Mauá está aberto para visitação técnica e acadêmica, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17 horas. Com 80 hectares de manguezais reflorestados e 15 hectares ainda em processo, o parque tem mais de 100 espécies de aves catalogadas.

Abrigo de seis áreas de conservação, São João de Meriti tem o Parque Jardim Jurema, a maior reserva florestal da cidade, com 148 mil m², e espécies como Pau Brasil, Ipês, Pau d'Alho, Pau Ferro e Urucum. No município também tem as APAs do Morro da Andorinha, Limoeiro, Morro da Aeronáutica, Jardim Santo Antônio e Parque Vitória.

 

Você pode gostar
Comentários