Em Duque de Caxias, campanha ajuda quem precisa

"Movimenta Caxias" já conseguiu cestas básicas para mais de 1.270 famílias em favelas

Por HUGO PERRUSO

Campanha já doou mais de 1.420 cestas básicas em Duque de Caxias
Campanha já doou mais de 1.420 cestas básicas em Duque de Caxias -
Duque de Caxias - Parcela mais afetada pela quarentena forçada para tentar conter o avanço do coronavírus, a população de comunidades carentes é atingida em cheio pela crise com a falta de dinheiro e alimentos. Uma dura realidadepara muitos locais da Baixada Fluminense e que movimentos sociais da região tentam minimizar como podem, com doações de cestas básicas e produtos de higiene. Entre eles, o "Movimenta Caxias",em parceira com outros grupos, fez uma campanha com a contribuição de 30 voluntários e já ajudou mais de 1.270 famílias.
Formado por representantes de organizações sociais de diversos bairros de Duque de Caxias, o "Movimenta" vem fazendo uma grande campanha de doações e arrecadação, com o objetivo de ajudar famílias de 12 favelas da cidade. Até o momento, foram doadas mais de 1.420 cestas básicas.
"Mais famílias vão ter comida na mesa. Isso vale muito. Para quem, como eu, já dormiu muitas vezes com fome, o que se pode fazer é comemorar essa pequena/grande vitória do dia. Contribuições, apoio, divulgação e estímulo são fundamentais para que os sonhos sejam de alegria e não de dor. Movimentos como esse estão crescendo, mas é importante deixar claro que o estado precisa cumprir o seu papel.", afirmou Fabbi Silva, do projeto "Apadrinhe um Sorriso" e uma das lideranças do "Movimenta Caxias".
Além dos alimentos para quem tem fome, a água tornou-se um importante item a ser doado, visto que muitas dessas favelas sofrem com a falta de abastecimento. Já foram mais de 600 garrafas entregues. E materiais de higiene básicos também estão na lista de doações: mais de 2 mil sabonetes e 912 kits também foram doados.
Assim como outras campanhas em comunidades da cidade do Rio, o "Movimenta Caxias" também foca no combate ao coronavírus, com orientação aos moradores através de 40 faixas e campanhas nas redes sociais. Até mesmo adesivos com as frases "fique em casa e lave as mãos" são colados nos sabonetes doados.
A Prefeitura de Duque de Caxias diz que está sendo realizado um trabalho de conscientização nas comunidades e que o Programa Equipe de Consultório na Rua "tem realizado ações de promoção à saúde junto a essa população", com distribuição de panfletos de orientação sobre prevenção e de kits de higiene das mãos. Outra ação já realizada, segundo a nota, foi a vacinação contra o Sarampo e a gripe e "a garantia da alimentação por meio de doações de quentinhas e cestas básicas cedidas pela sociedade civil".

REDE DE APOIO COMO META

Pela Baixada, há muitos outros movimentos de apoio aos mais necessitados. E o desejo desses grupos é formar uma rede para facilitar a arrecadação e as doações, contando com lideranças de cada município.

"Quando tratamos da Baixada, vemos projetos isolados trabalhando sozinhos. A ideia é montar uma rede de instituições para que as doações cheguem em todos os lugares. Queremos fazer um mapeamento desses grupos e entender como estão atuando mediante ao surto, além de realizar uma campanha de ajuda para oferecer cestas básicas e kits de higiene para as famílias assistidas e cadastradas nessas organizações", explica Bianca Simãozinho, fundadora do Instituto Mundo Novo, na Chatuba, em Mesquita.

A mobilização entre alguns grupos já existe, mas de maneira informal. Agora, há o interesse de montar um longo cadastro para facilitar a logística.

"Um ajudava o outro quando era solicitado. Com a rede, vamos saber por meio de cadastro o que cada instituição precisa e já receber as doações específicas, além de projetos culturais e sociais no coletivo", disse Anderson Silva, do Instituto S.O.S Reviver, com sede em Nilópolis e filiais em Mesquita e Nova Iguaçu.

 

Beija-Flor recebe doações

Beija-Flor vai distribuir alimentos para moradores de Nilópolis - Divulgação

A Beija-Flor também deu início a uma campanha de doação de alimentos não perecíveis, roupas e colchões. Para isso, abriu as portas de sua sede, de segunda-feira a sexta entre 9h e 18h, como ponto de arrecadação. O objetivo é distribuir a famílias carentes de Nilópolis e também de outras regiões da Baixada Fluminense.

No início de abril, a Azul e Branco entregou mais de quatro mil ovos a moradores de uma área carente de Nilópolis, conhecida como "Suvaco da Cobra". Durante a pandemia, a Beija-Flor já fez lives nas redes sociais para incentivar as pessoas a ficarem em casa.

Galeria de Fotos

Campanha já doou mais de 1.420 cestas básicas em Duque de Caxias Redes sociais/Movimenta Caxias
Beija-Flor vai distribuir alimentos para moradores de Nilópolis Divulgação
Membros da Beija-Flor distribuem alimentos na quadra Divulgação
Membros da Beija-Flor distribuem alimentos na quadra Divulgação
Membros da Beija-Flor distribuem alimentos na quadra Divulgação
Membros da Beija-Flor distribuíram ovos em Nilópolis Divulgação
Membros da Beija-Flor distribuem alimentos na quadra Divulgação
Fabbi Silva (de máscara) com outros voluntários do "Movimenta" Arquivo Pessoal
Faixas de conscientização nas comunidades Redes sociais/Movimenta Caxias

Comentários