Barreiras montadas em Meriti

Principais ruas de quatro bairros com mais casos de covid-19 serão fechadas. Locais têm aglomerações

Por

No calçadão da Rua da Matriz, muita gente circula sem qualquer preocupação. Algumas até transitam pelo local sem máscara
No calçadão da Rua da Matriz, muita gente circula sem qualquer preocupação. Algumas até transitam pelo local sem máscara -

Ruas cheias e os casos de coronavírus aumentando. Este é o cenário de São João de Meriti, que tem, segundo a prefeitura, 412 casos confirmados, 979 suspeitos (que aguardam resultado de exame), além de 40 óbitos. A cidade é a terceira com o maior número de pessoas infectadas na região. Devido à grande movimentação nas ruas, a prefeitura anunciou que vai endurecer as medidas de isolamento em alguns bairros da cidade. A partir de hoje, ficarão fechadas ao trânsito as principais vias do Centro, Vilar dos Teles, Coelho da Rocha e Éden, localidades que apresentaram a maior quantidade de casos.

As medidas mais rígidas foram publicadas em Diário Oficial, hoje. Então, fica proibido a circulação de veículos e o estacionamento nas ruas do Centro e de Vilar dos Teles, as regiões que mais têm registrado aglomerações nas últimas semanas, como O DIA mostrou na última terça-feira. Os pontos de ônibus também serão desativados nas principais vias.

Os calçadões de Éden e Coelho da Rocha ficarão fechados. No local, serão montadas barreiras de fiscalização e só poderá passar quem for trabalhar em serviços considerados essenciais, como é o caso de supermercados, farmácia e bancos.

"Temos um número relativamente menor de casos, comparando com Duque de Caxias e Nova Iguaçu, mas este número está crescendo muito rapidamente. Nós estamos observando que a população não está cooperando. Em função disso, vamos tomar atitudes mais rígidas para diminuir a quantidade de pessoas nas ruas. Esses quatro pontos da cidade que vamos endurecer as medidas são os que mais tem gente na rua. Às vezes, as pessoas vão para a rua sem objetivo ou para coisas sem grande importância. Faremos fiscalização severa no comércio com o auxílio da Polícia Militar", disse o prefeito Dr. João em um pronunciamento nas redes sociais.

SERVIÇOS ESSENCIAIS

São João de Meriti irá na contramão do decreto do presidente Jair Bolsonaro, assim como Caxias e N. Iguaçu. Para o prefeito Dr. João, serviços como barbearia, salões e academias não se enquadram como essenciais. "Tenho proteção do STF que me dá autonomia para dizer o que é essencial. Então, digo aos proprietários de salões, barbearias e academias que não estão autorizados a abrir estes comércios. Se isso acontecer, será punido ao rigor do decreto municipal e da lei. Não obedeceremos o decreto presidencial".

ABERTURA DE HOSPITAL

Ainda no pronunciamento, o prefeito de São João falou sobre a abertura do PAM Meriti. Prevista para esta semana, a inauguração foi adiada e não tem nova data prevista. Segundo ele, houve um problema com os respiradores. A unidade terá 30 leitos de UTI e receberá pacientes da UPA de Jd. Iris.

Comentários