Contadora de histórias de Nova Iguaçu aposta em vídeos para levar a leitura às crianças

Patrícia Oliveira cria canal no Youtube e também envia material por WhatsApp

Por HUGO PERRUSO

Patrícia Oliveira lê livros e conta histórias para crianças da comunidade Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu
Patrícia Oliveira lê livros e conta histórias para crianças da comunidade Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu -
Em meio à dura realidade do dia a dia, a Biblioteca Comunitária Paulo Sacramento torna-se uma importante ponte para levar os livros às crianças da Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu. Com o bloqueio causado pelo coronavírus, novos caminhos estão sendo usados para manter a garotada perto da leitura. E uma das guias é Patrícia Oliveira.
Coordenadora da biblioteca, a estudante de pedagogia que se forma em 2020 também é mediadora de leitura. Era a responsável por contar histórias de livros às crianças todas quartas-feiras, quintas e sextas, de manhã e à tarde, antes da pandemia da covid-19. Sem poder abrir o espaço, ela resolveu criar um canal no Youtube (Patrícia Conta História) para seguir levando a leitura à garotada e não deixar os novos leitores perderem o hábito.
"Nossos leitores não poderiam ficar sem as histórias, foi aí que comecei gravar os vídeos de contação de histórias e os audiobooks. Meu filho teve a ideia de criar um canal pra mim no Youtube. Todo conteúdo que faço é de forma simples, pois não tenho câmera e nenhum outro instrumento profissional, mas fica para o acesso de todos. Os leitores adoraram poder ter este contato comigo", explica Patrícia, que busca disponibilizar os vídeos também de outras maneiras, como WhatsApp, Facebook e Instagram para facilitar ao máximo o acesso, apesar de muitas crianças não terem condições de acessar a internet.
A solução é mais uma buscada pela biblioteca para incentivar a leitura das crianças. Além da contação de histórias, jogos literários e outras atividades são realizadas no espaço. O projeto Mala Volante leva vários livros à casa de um leitor, que recebe outras crianças. Mas tudo ficou parado provisoriamente por causa do isolamento social.
"Durante as atividades temos cerca de 18 leitores na parte da manhã e 30 na parte da tarde.O nosso espaço é pequeno, mas a vontade de tornar essa comunidade leitora é gigantesca.Estar neste espaço é tão importante para os leitores porque eles são acolhidos de uma forma que percebem o prazer existente na leitura. Tem muita diversão dentro da nossa biblioteca", explica Patrícia.
Apesar das atividades para as crianças, a biblioteca,inaugurada em 2018 dentro do Instituto Social Valorizando Vidas,dá acesso livre a adolescentes e adultos da comunidade. Além de Patrícia, uma bibliotecária voluntária também ajuda na organização.

Democratizar a leitura

A Baixada Literária é um movimento que atua em Nova Iguaçu para contribuir com a democratização do acesso a livros. Participam 14 bibliotecas comunitárias e dois projetos de leitura. Com a pandemia da covid-19, o planejamento do ano precisou ser refeito, mas segue o esforço para que crianças, adolescentes e adultos continuem lendo.

As redes sociais e o WhatsApp se tornaram um importante meio para a organização continuar com seu projeto. São postados vídeos de mediadoras contando histórias de livros e as crianças também participam dando dicas ou apenas lendo. Autores também participam.

No último dia 22 aconteceu o primeiro sarau virtual, com inúmeras atividades culturais. Outras ações estão sendo programadas para seguir com as atividades online.

Alcance de mais pessoas

Além de fazer os vídeos contando histórias, Patrícia Oliveira também tem recebido retorno. E não apenas das crianças da Biblioteca Comunitária Paulo Sacramento. Com o trabalho nas redes sociais e no canal do Youtube, o alcance aumentou e mais pessoas estão visualizando e participando. 

"Agora os leitores estão me enviando vídeos lendo poesias e contando histórias. Pessoas que passaram a conhecer o nosso trabalho - ou já conheciam mas nunca tinham ido à biblioteca - têm acompanhado nas redes sociais e me enviam vídeos também", conta a futura pedagoga.

Galeria de Fotos

Patrícia Oliveira lê livros e conta histórias para crianças da comunidade Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu Arquivo pessoal
Patrícia Oliveira lê livros e conta histórias para crianças da comunidade Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu Arquivo pessoal
Patrícia Oliveira lê livros e conta histórias para crianças da comunidade Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu Arquivo pessoal
A voluntária lê livros e conta histórias para crianças da região da Vila Guimarães, em Austin, Nova Iguaçu fotos Arquivo pessoal

Comentários