Cidades da Baixada Fluminense em estágio distinto em relação à flexibilização

Decisões vão desde a abertura total do comércio à prorrogação de decretos, passando por liberação de alguns serviços

Por HUGO PERRUSO

Rio de Janeiro 29/05/2020 - Covid-19 - Movimentacao no centro da cidade de B. Roxo. Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia
Rio de Janeiro 29/05/2020 - Covid-19 - Movimentacao no centro da cidade de B. Roxo. Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia -

Primeiro foi Duque de Caxias, no dia 25, e ontem foi a vez de São João de Meriti relaxar as medidas de isolamento social no combate à covid-19. Se uma abriu todo o comércio e a Justiça mandou fechá-lo, a outra fará liberação parcial. Enquanto isso, Seropédica passou a permitir cultos e outros prefeitos prorrogaram seus decretos até o dia 15, liberando alguns serviços. Apesar de estarem na mesma região, as cidades da Baixada Fluminense têm tomado decisões distintas em relação à flexibilização.

Se os decretos de restrição em março eram parecidos, com base no Governo do Estado, a volta do comércio está sendo tratada mais especificamente. E o caso de Duque de Caxias, que teve recurso negado no Supremo Tribunal Federal (STF) para reabrir as lojas, virou exemplo. Além de São João de Meriti— que liberou o funcionamento de escritórios, restaurantes, barbearias, salões de beleza, armarinhos, óticas e estacionamentos —, Nova Iguaçu também quer evitar a mesma situação.

A proposta de reabertura do município foi apresentada ao Ministério Público e à Defensoria. Somente quando tiver a aprovação,Nova Iguaçu colocará em prática, ainda sem uma data definida. Enquanto isso,foi prorrogada até amanhã a restrição parcial de acesso ao Calçadão da Avenida Governador Amaral Peixoto, que vigora desde o dia 11 de maio.

"Estamos estabelecendo critérios e condições que passam pela curva de contágio nas semanas epidemiológicas, que está em queda, e os leitos de UTI disponíveis. Posso assegurar que tudo será realizado à luz da ciência", disse o prefeito Rogério Lisboa.

SERVIÇOS LIBERADOS
Outra cidade que flexibilizou o funcionamento do comércio não essencial foi Paracambi, que desde decreto de ontem liberou a abertura de lojas. Não foi estabelecido limite de pessoas nos locais, mas deve haver distanciamento de dois metros e álcool em gel disponível.Igrejas, clubes e academias continuam fechados, e bares e restaurantes seguem apenas como sistema de delivery.

Na semana passada, Queimados prorrogou as medidas restritivas e passou a obrigar a utilização de máscaras de proteção. Mas, no mesmo decreto,lojas de artigos hospitalares e ortopédicos,além de escritórios de contabilidade e advocacia, foram liberados a abrir.

Magé também ampliou as atividades que podem funcionar: a construção civil e as feiras livres foram liberadas. E manteve as restrições já adotadas para funcionamento de estabelecimentos empresariais e de órgãos públicos.

Belford Roxo prorrogou as medidas restritivas até 15 de junho em novo decreto e retomou o horário de funcionamento das repartições públicas municipais, que voltou a ser das 8h às 17h. Apenas serviços essenciais, como supermercados, farmácias, lotéricas e lojas de materiais de construção estão liberados a abrir sem restrições. Ainda assim, restaurantes, bares e lanchonetes continuam podendo funcionar com 30% da capacidade.

Já Itaguaí manterá o Estado de Emergência até 17 de junho, com estabelecimentos comerciais e de prestação de serviço devendo permanecer fechados, com exceção das atividades essenciais.

Comércio tem queda de 60%

O isolamento social por causa da pandemia do novo coronavírus vem afetando em cheio a economia e Em Duque de Caxias não tem sido diferente. Desde março, quando começaram as medidas de restrição para circulação de pessoas, o comércio no Calçadão da cidade registrou uma queda de 60% de público.

A região concentra, ao todo, 250 lojas e recebe gente de diversas cidades da Baixada Fluminense e Grande Rio. Somente no Ela Shopping, um dos principais polos do Calçadão, a média diária de circulação de pessoas caiu de 25 mil para 9 mil (estimativa de quando foi autorizada a reabertura do comércio na última segunda-feira, 25). No local, duas lojas fecharam as portas em definitivo.

"O comércio de Duque de Caxias recebe público de São João de Meriti, Belford Roxo, de bairros do Rio próximos daqui como Penha, Ilha, Pavuna. É uma vocação da cidade. Um comércio rico e variado", afirma Celso Pariz, superintendente do Ela Shopping, que emprega diretamente cerca de 150 funcionários.

O desemprego também vem assombrando os comerciantes caxienses. Apesar de ainda não ter um dado oficial na cidade, há reclamações de que lojas grandes de departamentos chegaram a demitir metade dos funcionários em Duque de Caxias. Outras suspenderam temporariamente o contrato de trabalho.

"Estamos vivendo um momento muito cruel. Tem muitas famílias que dependem do comércio e tiveram o ganho mensal reduzido a zero", lamenta um lojista, que preferiu não ser identificado.

 

Mais de 8.500 casos de covid

A Baixada Fluminense já contabiliza 8.540 confirmações de infectados com a covid-19, com 927 mortes. Nova Iguaçu é o município da região com mais casos (1.805) e o terceiro do Estado, enquanto Duque de Caxias possui mais óbitos (250), atrás apenas da capital. 

Apesar de liberar parte do comércio, São João de Meriti ainda é a quarta cidade da Baixada Fluminense com mais casos (884), atrás de Queimados (989), e a quarta com mais mortes (90), já que Belford Roxo tem 102.

Japeri é a cidade da região com menos casos (108) e Seropédica é a que possui menos mortes (8). Os dados são da Secretaria de Estado de Saúde.

Galeria de Fotos

Rio de Janeiro 29/05/2020 - Covid-19 - Movimentacao no centro da cidade de B. Roxo. Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia Luciano Belford
250520 - CORONAVIRUS - Abertura parcial do comercio leva uma grande quantidade de gente para o centro de Caxias. Na foto, movimentacao no Calcadao de Caxias pela manha. Estefan Radovicz / Agencia O Dia Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Rio, 15/05/2020 - COVID 19 - CORONAVIRUS - Ronda nos Municipios da Baixada Fluminense. Calcadao de Sao Joao de Meriti. Municipio do Rio. coronavirusrio. Foto: Ricardo Cassiano/Agencia O Dia Ricardo Cassiano/Agencia O Dia
No último sábado, Centro de Belford Roxo teve aglomeração (acima). E em Nova Iguaçu, restrição ao calcadão foi prorrogada até amanhã Cléber Mendes

Comentários