Pesquisa aponta crescimento no setor de delivery

Gastos com principais aplicativos de entregas de comida cresceram 117%

Por O Dia

Serviço de entrega de alimentos já é um dos mais procurados do país. Setor cresceu durante a pandemia
Serviço de entrega de alimentos já é um dos mais procurados do país. Setor cresceu durante a pandemia -

Uma das saídas encontradas por quem trabalha com gastronomia foi a adesão ao delivery. Se antes muitos negócios se dedicavam exclusivamente ao ponto fixo, com o isolamento social, as entregas passaram a ser o grande gargalo. Segundo uma pesquisa da Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, os gastos com os principais aplicativos de entregas focados no delivery de comida cresceram 117,21% em comparação com o primeiro mês do ano. A empresa analisou dados de 160 mil usuários do próprio aplicativo entre janeiro e julho.

Em março, início da quarentena no Brasil, os serviços tiveram queda de 17% se comparado a fevereiro. Em abril, o crescimento foi de 60% em relação a março, e em maio, 37% em comparação com abril. Em junho, esse valor representou 6% em relação a maio. Já em julho, o delivery continuou crescendo, 6,96%.

O estudo também analisou o crescimento no ticket médio dos pedidos realizados em cada um dos aplicativos. A Rappi, que além do delivery alimentício oferece entrega de supermercado, farmácia e compras em geral, teve o maior aumento no ticket médio. Em maio, o valor médio das transações era R$ 97,20, o que representa aumento de 92% em comparação ao mês de janeiro, onde o gasto médio era de R$ 50,51. Em julho, o valor teve um pequeno acréscimo, com um ticket médio de R$ 99,94.

Estabilidade no Ifood

O iFood manteve o ticket médio estável até março, quando começou a apresentar crescimento. Em janeiro e março, os gastos em média eram de R$ 35. Em junho, o valor cresceu para R$ 43, representando 22% de aumento em comparação a janeiro. Já em julho, o ticket médio do iFood apresentou uma pequena queda, em média foram gastos R$ 42,27, por pedido.

Já o Uber Eats foi o que apresentou o menor crescimento no ticket médio: em maio o valor médio das transações era de R$ 36,27, enquanto em julho o valor foi de R$ 37,48.

Comentários