HUAP usa técnica pioneira em cirurgia de coluna vertebral

Método é mais uma opção de tratamento para pacientes portadores de doenças degenerativas

Por O Dia

Técnica causa pouco dano muscular e perda de sangue.
Técnica causa pouco dano muscular e perda de sangue. -

O Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP), ligado à Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, realizou pela primeira vez uma cirurgia de artrodese da coluna vertebral utilizando a técnica Oblique Lumbar Interbody Fusion (OLIF) - Fusão Intersomática Lombar Oblíqua, na tradução para o português.

De acordo com o neurocirurgião do HUAP, dr. Paulo Cortez, que comandou a equipe, o procedimento melhora a visualização do disco vertebral e, consequentemente, proporciona uma discectomia (retirada do disco) mais ampla, possibilitando a inserção de uma prótese intervertebral maior, chamada cage. Ainda segundo o cirurgião, a técnica usada causa pouco dano muscular e perda de sangue.

"Além disso, os índices de infecção, fibrose e artrodese são menores. No entanto, para fazer esta cirurgia, é necessário que o paciente tenha um espaço de 1 centímetro entre a musculatura e os vasos abdominais, sendo indispensável a avaliação prévia deste critério através de estudo por ressonância magnética ", explica.

Geralmente, o procedimento é feito pelas costas, causando algum dano muscular e, na maioria dos casos, provocando muita dor no pós-operatório. Com a nova técnica, a cirurgia é via lateral, com incisões pequenas e sem danos aos músculos. Diferente do método tradicional, a cirurgia é minimamente invasiva e traumática para o paciente e oferece alta hospitalar precoce, melhor recuperação e permite maior descompressão indireta dos nervos.

No Brasil, o método ainda é considerado novo e foi realizado poucas vezes. Com a realização no Hospital Universitário Antônio Pedro, a técnica se torna mais uma opção de tratamento para pacientes com doenças degenerativas da coluna.

Reforço de R$3,9 mi em caixa

Verba será para ações de capital e custeio, aquisição de medicamentos, insumos e materiais médico-hospitalares - Divulgação/HUAP-UFF

O Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) vai disponibilizar R$3,9 milhões para o Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP), que poderão ser usados para ações de capital e custeio, aquisição de medicamentos, insumos e materiais médico-hospitalares. O reforço financeiro foi publicado no Diário Oficial da União no início de agosto.

Somente em 2020, já foram descentralizados R$155 milhões para hospitais universitários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC). A liberação dos recursos será feita pelo MEC e pelo Ministério da Saúde (MS). De acordo com o superintendente do HUAP, Tarcísio Rivello, atualmente, cerca de 20% a 30% do valor total da verba é utilizada para custeio

Galeria de Fotos

Técnica causa pouco dano muscular e perda de sangue. Divulgação/ HUAP-UFF
Método ainda é considerado novo e foi realizado poucas vezes no Brasil Divulgação/ HUAP-UFF

Comentários