Reforço de peso na luta contra o crime

Sistema do Centros de Monitoramento de Nova Iguaçu conta com 76 câmeras

Por aline.cavalcante

Olho bem aberto para ver o que acontece em Nova Iguaçu. É que a Prefeitura inaugurou na última semana o Centro de Operações que vai monitorar 24 horas por dia o que acontece na cidade através de 76 câmeras. E o sistema parece funcionar. Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) revelam que nas cidades da Baixada onde as câmeras foram instaladas o índice de criminalidade diminuiu. Em Nilópolis, a redução chegou atingir a marca de 80%.

Rubens Borborema%2C secretário de Transporte%2C mostra Centro de Monitoramento de Nova Iguaçu Thiago Loureiro


Somente em fevereiro, segundo o ISP, Nova Iguaçu registrou 198 roubos de veículos e 484 roubos a pedestres (28 e 119 casos a mais, respectivamente, se comparados ao mesmo período do ano passado).

Para o comandante do 20º BPM, o tenente-coronel Roberto Dantas, a central terá papel importante na redução dos índices de violência em Nova Iguaçu. “As câmeras foram instaladas de acordo com a mancha criminal. Desta forma, teremos mais celeridade para agir”, afirma.

Depois que a Central de Monitoramento de Duque de Caxias começou a funcionar na Praça Roberto da Silveira, com 20 câmeras instaladas, houve diminuição dos seguintes roubos no último trimestre de 2015: os de veículos foram de 192 para 153 e a transeuntes de 889 para 499.
E este ano a Prefeitura deve adquirir mais 40 câmeras, que serão distribuídas nos quatro distritos da cidade.

Nilópolis conta com 65 câmeras de alta resolução e deve aumentar este número em 70%, com sistema capaz de identificar veículos roubados.

O secretário de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana de Nova Iguaçu, Rubens Borborema, garante que o foco é a segurança. “Teremos um PM aqui dentro em contato com o batalhão, as câmeras vão inibir a ação de criminosos”, acredita.

As câmeras são monitoradas 24 horas por dia por 50 profissionaisEdson Taciano


Mais proteção bem ao estilo Big Brother


O Centro de Operações de Nova Iguaçu (Conig) custou R$ 3,6 milhões, sendo 700 mil do município e o restante do Governo Federal.

Cerca de 50 profissionais se revezarão em turnos. Em caso de ocorrência, é possível acionar rapidamente os órgãos competentes para cada tipo de situação.

Imagens captadas pelas câmeras da PM também serão usadas. “No início do meu governo visitei o Centro de Operações do Rio e saí de lá focado em fazer um aqui. É um reforço na proteção do cidadão”, disse o prefeito Nelson Bornier.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia