O amor está mesmo no ar

Segundo IBGE, o número de casamentos cresceu 5,4% em todo país

Por gustavo.ribeiro

Raquel e Tatiane ficaram amigas. A maquiadora será madrinha do casórioEdson Taciano


Apesar de maio ser considerado o mês das noivas, ele não é mais o queridinho para subir ao altar. Segundo o IBGE, dezembro é o preferido de 12% dos noivos e apenas 7% escolheram maio.

“Independente do mês, as pessoas ainda querem casar. Faço cerimoniais todos os fins de semana”, afirma a cerimonialista Simone Toledo.

E ela está certa. Prova disso é que 74 mil uniões foram registradas em 2015, 1,3 mil a mais do que em 2014 segundo a Central de Registro Civil. Segundo o IBGE houve aumento de 5,4% no número de casamentos no Brasil. Foram mais de 1 milhão de uniões. Já de acordo com a Abeorc – Associação Brasileira de Eventos Sociais, o setor movimentou cerca de R$ 16 bilhões de 2013 e 2016.
 

Casar sempre foi um sonho para Raquel Santana, 22. E a vontade ficou maior quando ela conheceu seu noivo, Albert Júnior, 25. Os dois se conheceram no casamento do irmão de Albert. A família deles se conheciam, mas os dois nunca tinham se visto até aquele dia. “Cheguei atrasada e ia cantar na cerimônia. Quando desci do carro tropecei e quase caí, o Júnior estava lá e me segurou. Naquele momento trocamos olhares, mas não passou disso porque éramos comprometidos na época. Meses depois nós terminamos nossos relacionamentos e nos aproximamos, eu estava apaixonada”, relembra.

O namoro começou dois meses depois e em menos de um ano eles decidiram se casar. Mas a tarefa não era fácil, principalmente porque Júnior perdeu o emprego. “Foi um momento muito difícil porque tínhamos tudo planejado, mas, sem dinheiro suficiente para uma festa e para construir nossa casa adiamos tudo. Mesmo assim não perdi a fé, sabia que meu dia ia chegar”.

E o dia da Raquel chegou três anos mais tarde, através de uma promoção no Facebook, criada pela maquiadora Tatiane Ribeiro, há um mês. Ela queria realizar o sonho de alguém doando a produção de cabelo e maquiagem para quem não pudesse pagar. Foram mais de 200 e-mails em quatro dias. “A história da Raquel me tocou porque ela e o noivo são jovens e lutam juntos para realizar o sonho de casar, mesmo sem condições financeiras eles sempre acreditaram que conseguiram, nunca desistiram”, contou a maquiadora.

O que era para ser apenas um dia de noiva virou uma corrente do bem. Muitos fornecedores embarcaram na ideia sem conhecer a história e outros se sensibilizaram com a situação e resolveram ajudar. Eles ganharam os doces, vestido de noiva, roupa do noivo, ensaio fotográfico, filmagem, buquê, toda a festa e até lua –de- mel. “Quando recebi a notícia nem pude acreditar, chorei muito. Tudo o que aconteceu foi um milagre de Deus, terei tudo que sempre quis, sou muito grata por tudo. Não vejo a hora do meu casamento chegar”, disse. Emocionada, Raquel falou que acredita que o mês das noivas é aquele que cada uma escolhe, não importa qual seja.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia