Com histórico de dedicação à saúde pública, paciente se mudou do Porto da Pedra para Natal, onde mora sua filha, e lá fará a cirurgia - Divulgação
Com histórico de dedicação à saúde pública, paciente se mudou do Porto da Pedra para Natal, onde mora sua filha, e lá fará a cirurgiaDivulgação
Por Irma Lasmar
SÃO GONÇALO - O técnico de enfermagem André Luiz Morgado Pellerano, 50 anos de idade e morador do bairro Porto da Pedra, após colaborar na recuperação da saúde de incontáveis pacientes, é quem agora pede ajuda. Ele, que já trabalhou na Fundação para a Infância e Adolescência (FIA-RJ), no Hospital São José dos Lírios e na Rede Adventista Silvestre Saúde, foi diagnosticado com uma doença rara chamada Síndrome de Poems e precisa de um transplante de medula óssea.
Em tratamento desde o ano passado, iniciado no Hospital Universitário Antonio Pedro (Huap), em Niterói, a enfermidade se agravou, tirando de André parte dos movimentos das pernas, promovendo constantes dores e, pior, gerando tumores no fígado - atualmente tratados por quimioterapia. Para o transplante de medula, o técnico de enfermagem foi para Natal, capital do Rio Grande do Norte, onde mora sua filha, Rafaela Rosa Pellerano, de 23 anos, que se dedica a partir de então a cuidar do pai.
Publicidade
O transplante será feito em Natal, pois o Huap hoje não realiza este tipo de procedimento. A outra opção seria o Instituto Nacional do Câncer, mas André Luiz não é paciente acompanhado pelo local desde o diagnóstico. Ele está internado no Hospital Dr. Luiz Antônio, referência em oncologia, mas assim que a medicação específica chegar de laboratórios da Argentina ou Índia - o que pode levar de um a dois meses - será transferido para o Hospital Rio Grande, da rede SUS, onde será operado.
Diante de um alto custo com remédios e outros materiais, além da adaptação da rotina dele e da filha, o que pode incluir a contratação de uma cuidadora, a família iniciou a arrecadação de doações. A enfermeira Cristina Lima, amiga de André, já fez rifas e vendeu perfumes para colaborar nesse momento difícil. "O André sempre ajudou a todos. Chegou o momento de ser ajudado", frisa ela. Já Rafaela criou uma "vaquinha virtual". A mobilização de familiares e amigos deixa o técnico em enfermagem emocionado. "Faltam palavras para agradecer a tanta demonstração de amizade e solidariedade. Pessoas que eu não via há muitos anos reapareceram e colaboraram. Posso dizer que minha gratidão é enorme", finaliza.
Publicidade
Como colaborar:
André Luiz Morgado Pellerano
CPF: 018.796.057-75
Banco Bradesco
Agência: 0129
Conta corrente: 0300352-3

Banco Itaú
Agência: 6078
Conta corrente: 65865-2

Banco Santander
Agência: 3045
Conta corrente: 01073326-0
Conta PICPAY
@andre.pelleranol
Publicidade