Capitão Nelson - Divulgação
Capitão NelsonDivulgação
Por Irma Lasmar
SÃO GONÇALO - Compensação ambiental aplicada em benefício do cidadão gonçalense. Essa foi a principal pauta da reunião entre o prefeito Capitão Nelson, o secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Afonso, e empresários que investiram na construção de empreendimentos na cidade. Eles assinaram três termos de compromisso, que somam mais de R$ 2 milhões, para a execução de projetos ambientais que beneficiarão diretamente a população.
Os recursos são provenientes da aplicação da Lei 713/2017 e irão beneficiar o Centro de Tradições Nordestinas, em Neves, e três Áreas de Proteção Ambiental (APAs). As intervenções devem ser realizadas ainda no primeiro semestre de 2021.
Publicidade
Capitão Nelson destacou a aplicação das compensações que favorecem diretamente a população. “É de extrema importância, porque a única beneficiada é a população do município e isso nos dá mais estímulo para continuar trabalhando. Especialmente nesse momento de poucos recursos, é gratificante poder anunciar a execução destes projetos”, disse.
O secretário municipal de Meio Ambiente destacou os investimentos na área ambiental logo no início desta gestão. “O prefeito prioriza a questão ambiental porque sabe da importância que ela tem para São Gonçalo. Estes projetos irão valorizar locais antes esquecidos pelo poder público, aproximando essas áreas da população”, contou Carlos Afonso.
Publicidade
O Centro de Tradições Nordestinas receberá uma cobertura sustentável de aproximadamente 900 m² de telha e 350 m² de lona, com aproveitamento de luz natural e reúso de água da chuva. A feira também receberá um banheiro com biodigestor, que será instalado próximo da pista de patinação, tratando os efluentes produzidos.
“A aplicação dessas compensações transforma áreas antes degradadas em equipamentos de uso público para o povo”, resumiu Érico Franco, representante da Cury Construtora, uma das empresas que realizou a compensação ambiental para o município.
Publicidade
Os investimentos também contemplam a preservação das Áreas de Proteção Ambiental (APAs) das Estâncias de Pendotiba, em Maria Paula; Alto do Gaia, em Santa Izabel, e Itaoca. São mais de 3600 hectares de área protegida, que contarão com um comitê gestor integrado das unidades. O objetivo é uma maior integração da população com essas áreas verdes.
Além do plano de manejo integrado, o Alto do Gaia, ponto mais alto de São Gonçalo, receberá a estruturação da rampa de voo livre e sinalização ambiental. O investimento é fundamental para aquecer o setor de ecoturismo na região. “Muitas pessoas acham que essa rampa pertence a Maricá, mas é nosso território. Com essa iniciativa, mostramos que o poder público está na região. Lá, infelizmente, não tem até agora qualquer tipo de sinalização informando a qual município aquela área pertence", ressaltou o secretário.
Publicidade
A sinalização ambiental no Alto do Gaia vai auxiliar os frequentadores com informações, como as dificuldades das trilhas do local e a altitude em que se encontram. O bairro Sacramento também será beneficiado com a aplicação dos recursos de compensação ambiental, com a construção de uma praça na Rua General Segadas Viana. A praça receberá brinquedos, academia de idosos e paisagismo.
Os recursos que serão aplicados nos projetos e execuções são provenientes de compensações ambientais, por meio da aplicação da Lei 713/2017. Através de um processo de licenciamento ambiental, o empresário faz a supressão da área onde irá construir seu empreendimento e, em contrapartida, fica responsável por projetos ambientais. Trata-se de um cálculo feito antes mesmo de a empresa dar início às obras, através de avaliação e estudo prévio.
Publicidade