Mobilidade é a lei

Alvíssaras. Este Brasil faceiro já tem mais celulares ligados à internet, via banda larga, do que aparelhos sem esse recurso

Por bruno.dutra

De acordo com a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), o país fechou julho com 165,5 milhões de acessos em velocidade rápida. Em relação ao mesmo mês do ano passado, foi um aumento considerável de 50%.

Mas o bom mesmo é que, no total, contamos hoje com 142,1 milhões de pontos na banda larga móvel (via redes 3G e 4G), com crescimento de 60% em relação a julho do ano passado. Em princípio, esses números representam mobilidade e, tomara, aumento de produtividade.
São 126,2 milhões de conexões de celulares ou smartphones rodando na banda larga móvel. Além disso, estão na ativa outros 15,9 milhões de modems ou terminais de dados como as maquininhas de cartão e que permitem outras conexões máquina-máquina.

Devagar e sempre, as conexões 4G vão ganhando seu espacinho . Já temos 3,6 milhões de acessos nessa velocidade, abrangendo 119 cidades, por onde se espalham 39% da população brasileira. É um crescimento acima da meta inicialmente prevista.

Na banda larga fixa, foram 23,9 milhões de acessos, sendo dois milhões de conexões ativadas em doze meses, com crescimento de 9,2% no período.

Como lembra a Convergência Digital, a expansão também se deu na cobertura das redes de banda larga móvel, ativada em 342 novos municípios no último ano, até julho. Ao todo, as redes de terceira geração estão presentes em 3.756 municípios.

Reforço

O BNDES abriu edital de Chamada Pública para Seleção do Gestor Nacional do Fundo de Capital Semente Criatec 3, dirigido a micro e pequenas empresas inovadoras de TIC, Biotecnologia e Nanotecnologia, entre outras. O fundo vai reforçar empresas com receita operacional líquida anual de R$ 12 milhões, no máximo. O Criatec 3 terá duração de dez anos e patrimônio comprometido de R$ 200 milhões.

Moleskine 2.0

Eis aí uma ótima novidade da Moleskine: em parceria com a Livescribe, que fabrica canetas inteligentes (ou smartpens), a veterana lançou um caderninho que transfere para o seu tablet o que está sendo escrito no papel. A Livescribe 3, caneta indicada para uso com os Moleskines especiais, custa US$ 150. Já os cadernos, saem por cerca de US$ 30. E fica a lição da Moleskine: quem fica parado é poste...

SEO não é uma moda passageira

Contagem regressiva para o Rio Info 2014, daqui a duas semanas. Para quem toma decisões na área de tecnologia, o evento é parada obrigatória. Uma das oficinas que prometem boas sacadas é a do Renato Siqueira, que é professor e Consultor de Marketing e Comunicação Digital. Ele vai falar sobre a importância das técnicas de SEO, ou Search Engine Optimization, que reforçam a visibilidade do seu site nos mecanismos de busca.

Segundo ele, esses segredinhos não são mais uma opção. ‘Colocar um site no ar, hoje, sem considerar as regras básicas do SEO, significa condenar precocemente o projeto ao fracasso. Não existe estratégia de marketing digital sem SEO. Para ser estratégico, é preciso estudar público-alvo, interesses, concorrência, comportamento do consumidor, etc. Isso é a base do SEO. Sem estes estudos, você não tem estratégia. Tem “achismo”. Por conta desse e de outros assuntos importantes, vale a pena dar uma olhada com calma no site do Rio Info, disponível em http://rioinfo.com.br/2014/. A gente se encontra por lá.

Será que estamos exagerando?

Estudo da Universidade da Califórnia alerta que as crianças estão usando tantos dispositivos digitais que já não reconhecem mais as emoções dos outros. Elas estão ficando insensíveis. A pesquisa foi publicada na ‘Computers in Human Behaviour’.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia