Por monica.lima

Os números são do próprio Governo de Pernambuco e dão uma dimensão de quanto custa manter e administrar uma das arenas construídas para a Copa do Mundo no Brasil. Nos sete primeiros meses do ano, o estado gastou R$ 56 milhões do seu orçamento em pagamentos relativos à construção e gestão da instalação. Desse valor, R$ 26,5 milhões foram destinados ao pagamento do empréstimo feito com o BNDES para obras da Arena. Os outros R$ 27,3 milhões foram repassados à conta da empresa que tem o contrato de concessão da instalação, o grupo Odebrecht. Foram R$ 25,1 milhões a título de contraprestação mensal e outros R$ 2,2 milhões de despesa fixa atrelada ao desempenho financeiro da Arena.

Arena PernambucoAna Araújo/Divulgação

O caso de Pernambuco é emblemático e preocupante. O estado encontrou um parceiro gestor , a Odebrecht, tem um time grande jogando lá com frequência, que é o Náutico, e a Arena é das poucas erguidas para a Copa com um contrato de naming rights fechado com a Cervejaria Petrópolis, dona da marca Itaipava, que dá nome ao estádio. A má fase técnica do Náutico, que explica a baixa média de 8.095 torcedores por partida, e o período de recesso da Copa ajudam a explicar o mau resultado financeiro da Arena, que para não custar nada ao governo precisa faturar R$ 8 milhões mensais, como disse à coluna o secretário de Planejamento do estado, Frederico Amâncio. Se em Pernambuco está assim, imagine em Brasília, Cuiabá e Manaus, cidades sem tradição no campo e sem parceiros para dividir ao menos uma parte dessa conta.

Rúgbi é o novo esporte da Unilever

O rúgbi contará com um parceiro de peso na formação de novos atletas para a modalidade. A Unilever anuncia hoje em São José dos Campos, no interior de São Paulo, o lançamento da Academia Dove Men+Care e Kibon. Cerca de 70 adolescentes com idades entre 15 e 19 anos serão os primeiros participantes do projeto. A iniciativa busca formar jogadores para a categoria 7, que fará sua estreia olímpica no Rio em 2016.

Ídolos e marcas na luta contra o câncer

Mitsubishi Motors, Rubens Barrichello, Caca Bueno, Sandro Dias “Mineirinho”, os irmãos Torben e Lars Grael, Hortência e Fernando Meligeni são alguns nomes consagrados e marcas que apoiam o projeto Atletas Solidários. Hoje à noite eles estarão em São Paulo, em um jantar beneficente, para arrecadar fundos e doações para o Instituto do ex-piloto Ingo Hoffman, que atende crianças com câncer em Campinas.

Número da semana

14 milhões: Esse foi o número de Brazucas — a bola oficial da Copa — vendidas pela Adidas no segundo trimestre do ano. No entanto, nem a venda considerada recorde do maior símbolo do torneio levantou a bola da fabricante de artigos esportivos. As ações da companhia fecharam o mês de julho com a menor cotação desde janeiro de 2012.

Investcraque

Anderson Varejão
Astro da NBA e da Seleção Brasileira de Basquete

Com sua cabeleira enorme e penteado inconfundível, Anderson Varejão é, sem dúvida, o mais carismático jogador brasileiro de basquete a vestir a camisa de uma franquia da NBA. Dentro de quadra, o pivô do Cleveland Cavaliers é umas das principais armas do Brasil na disputa do Mundial da Espanha, que começa no final do mês. Ousado nos investimentos, tem 70% do patrimônio investido em fundos de ações nos EUA e os 30% restantes em imóveis residenciais e comerciais para compra e locação lá e aqui no Brasil.

Você pode gostar