Carreta do Movimento Brasil Sem Parasitose chega na Baixada Fluminense - Divulgação
Carreta do Movimento Brasil Sem Parasitose chega na Baixada FluminenseDivulgação
Por RENAN SCHUINDT

Rio - Após rodar por quatro cidades, a carreta do Movimento Brasil Sem Parasitose chega em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O objetivo é informar a população sobre tratamentos e cuidados de doenças parasitológicas. A partir das 8h de hoje, gastroenterologistas vão prestar orientações nos três consultórios instalados a bordo do veículo de 52 metros quadrados. Até quinta-feira, serão distribuídas 200 senhas por dia. O projeto, realizado pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), ficará na Praça do Pacificador, no Centro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as parasitoses afetam 36% dos brasileiros. No caso das crianças, o número chega a 55%.

"As parasitoses são doenças simples e fáceis de serem tratadas. Mas são pouco valorizadas, mesmo com grande incidência na população. É um problema de saúde pública e um dos mais graves do mundo", explica o presidente da FBG, Flávio Quilici. Na primeira etapa, o paciente responderá um questionário sobre os padrões de saneamento básico, higiene pessoal e familiar, hábitos de vida e o histórico clínico. Em seguida, passará por uma triagem feita por enfermeiros. E, depois do atendimento com os médicos, será direcionado para uma sala temática educativa, onde receberá orientações sobre hábitos de higiene pessoal e doméstica.

TEMAS DISCUTIDOS

Aliás, a importância dos hábitos de higiene será um dos principais principais temas que os especialistas irão abordar. Eles também irão falar sobre a importância do tratamento antiparasitário. Haverá, ainda, uma apresentação sobre as patologias tratadas pelo gastroenterologista e que acometem o sistema digestório (boca, estômago, esôfago e intestinos). É o caso, por exemplo, do refluxo esofágico, gastrite, úlceras, prisão de ventre e diarreias.

SINTOMAS

Embora mais comuns em regiões carentes de saneamento básico, as parasitoses atingem todas as camadas socioeconômicas da população. Os sintomas mais frequentes são dores abdominais, diarreia, gases, falta de apetite, perda de peso, náuseas e vômitos, tosse, febre e falta de ar. Também é comum que as pessoas com a doença sintam vontade de comer coisas diferentes, como terra, areia e tijolo. A parasitose também pode causar anemia, desnutrição e problemas pulmonares.

O tratamento é feito com base em medicamentos específicos, além de orientação para a prevenção e mudança de hábitos oferecidos pelo médico. A prevenção pode ser feita a partir de medidas simples, como lavar as mãos, higienizar os alimentos antes do consumo e evitar andar descalço em regiões com esgoto e lixo a céu aberto.

Você pode gostar
Comentários