Banco de Sangue de Volta Redonda faz campanha para incentivar doações

Intenção é garantir estoque para o Ano Novo e férias escolares

Por O Dia

Objetivo é garantir doações para o Ano Novo e férias escolares, pois há queda no estoque
Objetivo é garantir doações para o Ano Novo e férias escolares, pois há queda no estoque -
Volta Redonda - Com o objetivo de garantir estoque de sangue para o Ano Novo e as férias escolares, o Banco de Sangue de Volta Redonda realiza uma campanha para aumentar o numero de doações.
De acordo com o prefeito Samuca Silva, a doação de cada um contribui muito para o bom funcionamento do hemonúcleo, além de salvar vidas.
“As estatísticas indicam que uma só doação pode salvar até três vidas. Além de ser gratuito, o processo é rápido e simples. E, como recompensa, vem à satisfação de saber que um pequeno gesto gera gratidão e será lembrado para sempre por diversas famílias”, disse o prefeito.

Segundo a coordenadora do Hemonúcleo, Rosimere Herdy Cardoso, o período entre os meses de dezembro e janeiro é um dos mais críticos do ano, já que as festas e as férias de verão refletem diretamente no movimento de doadores.
“Estamos fazendo esse apelo para a população nos ajudar a salvar vidas. O doador tem papel fundamental nos serviços de hemoterapia. E nesse período, onde o nosso estoque fica mais baixo, cada doação é muito importante para nós”, esclareceu a enfermeira.

O banco de sangue fica no Hospital São João Batista e funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 13h. O Hemonúcleo atende a própria unidade de saúde além de outras seis instituições: Hospital do Retiro, Hospital do Idoso, Cais Aterrado, Hinja, Agência Transfusional de Piraí e Hospital de Pinheiral.

Para doar sangue, o interessado precisa sentir-se bem, estar saudável, apresentar documento com foto. O doador também deve ter entre 16 e 69 anos e ter peso acima de 50 kg. Caso seja, menor de idade, é preciso autorização do responsável, que pode ser adquirida no próprio Hemonúcleo, além de apresentar documento original da pessoa que assinou o documento.
Estão impedidos de doar aqueles que tiveram diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade, mulheres grávidas ou que estejam amamentando, e pessoas expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de Chagas.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, destaca ainda que para ser um doador é preciso ter estilo de vida saudável, não ter comportamento de risco e respeitar o intervalo mínimo entre as doações, que é de 60 dias para homens e 90 dias para mulheres.
“Nos ajude a manter o nosso estoque de sangue. Esse período é um dos mais críticos do ano, já que as festas e as férias de verão refletem diretamente no movimento de doadores”, disse o secretário.
Ainda de acordo com as informações do Banco de Sangue, no dia da doação é importante não estar em jejum, fazer repouso mínimo de seis horas na noite anterior, não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação, evitar fumar pelo menos duas horas antes e, depois da doação, evitar ingestão de alimentos gordurosos.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários