Samuca anuncia programa Cidade Solidária para amenizar impactos do combate ao coronavírus

Município tem 62 casos confirmados e três mortes

Por O Dia

Prefeito Samuca Silva anuncia programa Cidade Solidária
Prefeito Samuca Silva anuncia programa Cidade Solidária -
Volta Redonda - O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, anunciou neste domingo, dia 5, um pacote de medidas sociais para a cidade, diante das restrições sociais por conta do combate ao Novo Coronavírus.

O programa Cidade Solidária terá ações que visam diminuir o impacto das restrições devido à Covid-19. Diante disso, o Restaurante Popular reabre na quarta-feira, dia 8, com venda de marmitex, de 10h30 às 14h30 para o almoço, e de 16h30 às 18h30 para jantar.

Samuca também anunciou que serão doadas 15 mil cestas básicas. As famílias devem entrar em contato com a Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), através dos telefones (24) 3339-9570 ou 3339-9571.

“Será feita uma entrevista pelos técnicos da Smac para analisar a necessidade. Após a triagem, as cestas serão entregues nas casas’’, destacou o prefeito.

Empresas poderão doar para colaborar com as ações da prefeitura, através de uma conta da secretaria de Saúde (SMS), no Banco do Brasil: Agencia 0262 e Conta 93944-7.

“Será realizada a prestação de contas e esses valores poderão ser abatidos no IPTU e no ISS’’, disse.

Ao profissional liberal, a partir do dia 13 de abril, a prefeitura vai dar todo suporte nas unidades da Fevre para ajudar no acesso aos recursos que serão enviados pelo Governo Federal.

‘’Também, a partir do dia 13, vamos entregar às famílias dos alunos da rede pública de educação, através das unidades escolares, kits de alimentação. A retirada será feita nas escolas, com horário agendado, para evitar aglomeração’’, disse.

O prefeito também atualizou os dados sobre contaminação: agora, são 62 casos confirmados de coronavírus, três mortes confirmadas, quatro óbitos suspeitos e 434 casos suspeitos.

Durante a transmissão ao vivo realizada através das redes sociais, o prefeito Samuca Silva destacou que ainda há um grande número de pessoas nas ruas e em aglomeração.

“Se nós não entendermos que temos a clara necessidade de fazer o isolamento social nesse país, que é o sexto mais populoso do mundo, a situação ficará feia. O mesmo vírus que está pelo mundo está em Volta Redonda. Por isso eu faço o pedido: fiquem em casa’’, concluiu Samuca.

Comentários