Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, dia 17, a Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda apresentou estudos técnicos sobre o combate à covid-19 - Divulgação
Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, dia 17, a Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda apresentou estudos técnicos sobre o combate à covid-19Divulgação
Por O Dia
Volta Redonda - Nesta sexta-feira, dia 17, em entrevista coletiva, a Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), apresentou estudos técnicos sobre o combate à Covid-19, o Novo Coronavírus. Na apresentação, foram revelados dados sobre o isolamento social e a restrição de aglomerações para evitar o contágio em massa da população. Segundo o levantamento, a cidade poderia ter hoje 5.553 casos de contaminação por coronavírus.

Participaram da coletiva, o Secretário Municipal de Saúde, Alfredo Peixoto; a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da SMS, Milene de Paula; e o médico infectologista da SMS, Eduardo Ulloa.

“Esse estudo demonstra a importância do isolamento social para evitar o contágio em massa. Sem qualquer tipo de restrição teríamos 5.533 casos. Volta Redonda é uma cidade central, que recebe pessoas de outros municípios pela rede de saúde referência e pelo comércio. Uma pessoa contaminada, por exemplo assintomática, poderia contaminar outras e assim por diante”, disse Milene de Paula, coordenadora de Vigilância em Saúde.

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, destacou ainda que a estrutura de saúde da cidade está aumentando a capacidade de leitos para receber pacientes da Covid-19.

“Lembro que estamos com quatro unidades básicas funcionando até às 22 horas referenciadas para suspeitas de coronavírus. Isso evita o contágio em unidades de emergências. Estamos monitorando todos os casos, acompanhando a quarentena e evolução dos sintomas. Também lembro que o município, além dos leitos atuais, está abrindo o Hospital de Campanha e ampliando leitos nos hospitais do Idoso e Santa Margarida”, disse Alfredo Peixoto.

Já o prefeito Samuca Silva lembra que Volta Redonda é a terceira cidade do estado com maior número de contaminados e a primeira em proporção infectado/população.

“Por isso seguimos pedindo para quem puder que fique em casa. O mundo nos ensina que o isolamento social é o melhor remédio nesse momento para evitar o contágio em massa”, destacou o prefeito.

De acordo com a última atualização, divulgada na quinta-feira, dia 16, Volta Redonda tinha 162 casos confirmados; sete óbitos confirmados e outras três mortes suspeitas. Além disso, a cidade tinha ainda 775 casos suspeitos que aguardam resultado de exames.